Sobre o blog

Músicas, Livros, Cursos, Atendimentos, Budismo e Nova Espiritualidade. Blog de Paulo Stekel com todas as novidades do seu trabalho como músico, escritor, instrutor e pesquisador da Espiritualidade Universal. Confira os livros disponíveis, seus álbuns musicais já lançados, a lista de cursos à disposição e os atendimentos. ***** Contato: pstekel@gmail.com ***** © 2014 Paulo Stekel – todos os direitos reservados - all rights reserved

sábado, 14 de dezembro de 2013

Pocket Show Completo de Stekel & Parceiros

Pocket Show Completo de Lançamento do álbum "Canções Para Todos os Amores", de Stekel

Versão integral do pocket show de lançamento do novo álbum de Stekel, "Canções Para Todos os Amores", realizado na Palavraria - Livros & Cafés, em Porto Alegre, no dia 06 de dezembro de 2013.

Participação especial dos músicos de Porto Alegre Super Gisele e André de Souza.

Playlist: 01 - Mundo Velho (instrumental, por André de Souza) 02 - Amor Imperfeito (Stekel) 03 - Sutilezas do Tempo (acústico, Stekel) 04 - I Wanna Say (SuperGisele) 05 - Letter to My Persian Love (SuperGisele) 06 - Jovem Coração (Stekel) 07 - Metades (Stekel) 08 - Sem Condições (Stekel) 09 - Adorador das Luzes (Stekel)

TRECHOS DO SHOW:

  http://www.youtube.com/watch?v=CFhbMiN1qbs

O SHOW COMPLETO:

  http://www.youtube.com/watch?v=EOYq0gA2VH0

Stekel é escritor poliglota, especialista em línguas sagradas e trabalha com tudo o que se relaciona à espiritualidade universal. Filho de músico, após muitos anos pesquisando a relação entre Canalização, Cabala e Música, passou a desenvolver um trabalho específico com música espiritual, incluindo música canalizada e mantras codificados. Tem trabalhado com palavras sagradas hebraicas e sânscritas no processo de fazer música codificada. Alguns de seus trabalhos são feitos sob encomenda para algumas pessoas e não aparecem publicamente.

Álbuns disponíveis: "Qadosh - Música Canalizada & Mantras Codificados"; "Galaktika - an internal space travel"; "Fluindo Reiki... Natureza"; "Fluindo Reiki... Mantras"; "Stekel - remixes & new songs 2010"; "Sacred Voices"; "The Planets - for XXIst Century"; "Indigo - Cosmic Sounds for Activation"; "Odes To The Spirits of Light"; "Canções Para Todos os Amores". 

Ensinamentos Budistas 13, 14 e 15

* Conforme postado no grupo "Ensinamentos Budistas" do Facebook (Participe: https://www.facebook.com/groups/ensinamentosbudistas/)





sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Odes to the spirits of light (trechos álbum de Stekel - 2012)



Trechos das 12 faixas do álbum de Stekel lançado em 2012, o nono de sua carreira independente, intitulado "Odes to the spirits of light" (Odes aos espíritos de luz). O álbum ainda está disponível em CD (áudio) e em Mp3.




Faixas:

01 - Odes Overture (to all spirits of Light)
02 - Aqshem (to Danea Tage)
03 - Conselhos de Lentulus (to Emmanuel)
04 - Mahatmas (to Morya)
05 - Qedushah (to Guardian Angels)
06 - The Light On The Path (to Hillarion)
07 - Aladura (to Oshanla)
08 - Stigma Lux (to Padre Pio)
09 - Recomeço (to Chico Xavier)
10 - Emorê (to Unknown Spirits of Light)
11 - Ode to Aleg - Part I
12 - Ode to Aleg - Part II (Reason to Love)


Um ótimo presente para este Natal de 2013! Aproveite!!!

"Pelas boas almas foram as 'Odes' sintonizadas." [Emmanuel]

Stekel é escritor poliglota, especialista em línguas sagradas e trabalha com tudo o que se relaciona à espiritualidade universal. Filho de músico, após muitos anos pesquisando a relação entre Canalização, Cabala e Música, passou a desenvolver um trabalho específico com música espiritual, incluindo música canalizada e mantras codificados. Tem trabalhado com palavras sagradas hebraicas e sânscritas no processo de fazer música codificada. Alguns de seus trabalhos são feitos sob encomenda para algumas pessoas e não aparecem publicamente.

Álbuns disponíveis: "Qadosh - Música Canalizada & Mantras Codificados"; "Galaktika - an internal space travel"; "Fluindo Reiki... Natureza"; "Fluindo Reiki... Mantras"; "Stekel - remixes & new songs 2010"; "Sacred Voices"; "The Planets - for XXIst Century"; "Indigo - Cosmic Sounds for Activation"; "Odes To The Spirits of Light"; "Canções Para Todos os Amores".

Maiores informações: http://stekelmusic.blogspot.com

Mantra Qadosh em três versões



Neste vídeo, Paulo Stekel apresenta as três versões de codificação musical para o mantra hebraico "Qadosh", que aparece no Livro de Isaías, cap. 06, vers. 03: "Qadosh, Qadosh, Qadosh. YHVH Tsevaot. M'lo khol-ha-arets k'vodo" ("Santo, Santo, Santo. Senhor dos Exércitos. A plenitude de toda a terra é Sua glória"). Estas três versões da codificação apareceram no seu primeiro álbum, "Qadosh - Música Canalizada & Mantras Codificados". Atribui-se a esse código o poder de afastar as energias negativas (egóicas, caóticas) e aproximar as positivas (divinas e angélicas).

Stekel é escritor poliglota, especialista em línguas sagradas e trabalha com tudo o que se relaciona à espiritualidade universal. Filho de músico, após muitos anos pesquisando a relação entre Canalização, Cabala e Música, passou a desenvolver um trabalho específico com música espiritual, incluindo música canalizada e mantras codificados. Tem trabalhado com palavras sagradas hebraicas e sânscritas no processo de fazer música codificada. Alguns de seus trabalhos são feitos sob encomenda para algumas pessoas e não aparecem publicamente.

Pedidos dos álbuns de Stekel através de pstekel@gmail.com

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Ensinamentos Budistas 07, 08 e 09

* Conforme postado no grupo "Ensinamentos Budistas" do Facebook (Participe: https://www.facebook.com/groups/ensinamentosbudistas/)






Stekel no programa Estilo Zen (TV COM) - 2010



Participação de Stekel no programa Estilo Zen (TV COM  Porto Alegre/RS, canal 36  Grupo RBS), em 2010. Programa apresentado por Lu Adams e matéria feita pela repórter Poliana Pasa.

No programa, Stekel fala sobre o que é música canalizada, a diferença entre esta e os mantras codificados, como funciona o processo de se fazer uma música canalizada pessoal, e encerra sintonizando na hora uma música pessoal para o próprio programa Estilo Zen.

Participação de Cláudia Alves (terapeuta holística), falando dos resultados obtidos depois que sua música pessoal foi canalizada, e de Hellen Oliveira (terapeuta holística e Reiki Master que participou de três álbuns de Stekel: Qadosh, Galaktika e Sacred Voices), falando da aplicabilidade das músicas sintonizadas por Stekel em terapias holísticas, como Reiki, massoterapia, etc.

Paulo Stekel é um escritor poliglota, especialista em línguas sagradas, e que trabalha como jornalista, editor, tradutor, revisor e tudo o que se relaciona à espiritualidade universal. Filho de músico, após muitos anos pesquisando a relação entre Canalização, Cabala e Música, passou a desenvolver um trabalho musical específico com música espiritual, que inclui música canalizada e mantras codificados.

Para pedidos dos álbuns de Stekel, contate pelo email pstekel@gmail.com .

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

A arte cabalística de abençoar através dos nomes divinos

Trechos da Palestra "A Arte Cabalística de Abençoar através dos Nomes Divinos" (também disponível em modo workshop), realizada em Porto Alegre - RS, em 2009.

...........................................................................................................................

Primeira parte da palestra A arte cabalística de abençoar através dos nomes divinos, ministrada por Paulo Stekel na Fraternidade Rósea-Luz (Porto Alegre  RS) no dia 07 de novembro de 2009.

Nesta parte, Stekel fala da arte da consciência, da história da Cabala, da bênção, do Inominável, da necessidade de se utilizar Nomes Divinos e do poder oculto nas 22 letras do alfabeto hebraico.





Segunda parte da palestra A arte cabalística de abençoar através dos nomes divinos, ministrada por Paulo Stekel na Fraternidade Rósea-Luz (Porto Alegre  RS) no dia 07 de novembro de 2009.

Nesta parte, Stekel fala dos Nomes Divinos, da relação dos Nomes Divinos com os anjos e os Sete Raios, dos três níveis do Absoluto (Ên Sôf) e das sete qualidades da Palavra adequada à invocação.




Terceira parte da palestra A arte cabalística de abençoar através dos nomes divinos, ministrada por Paulo Stekel na Fraternidade Rósea-Luz (Porto Alegre  RS) no dia 07 de novembro de 2009.

Nesta parte, Stekel inicia com o cântico canalizado do Pai Nosso em hebraico e em aramaico. Em seguida, lê a tradução cabalística do Pai Nosso e fala sobre o Eu Sou, Metatron, os Dez Nomes Divinos, o poder do mantra Qadosh e a importância da pronúncia correta dos mantras hebraicos em língua hebraica.



Paulo Stekel é um escritor poliglota, especialista em línguas sagradas, e que trabalha como jornalista, editor, tradutor, revisor e tudo o que se relaciona à espiritualidade universal. Filho de músico, após muitos anos pesquisando a relação entre Canalização, Cabala e Música, passou a desenvolver um trabalho musical específico com música espiritual, que inclui música canalizada e mantras codificados.

Para pedidos das músicas de Stekel, contate pelo email pstekel@gmail.com .

domingo, 27 de outubro de 2013

Ensinamentos Budistas 04, 05 e 06

* Conforme postado no grupo "Ensinamentos Budistas" do Facebook (Participe: https://www.facebook.com/groups/ensinamentosbudistas/)

Mantra "Qadosh" Codificado em música



O mantra Qadosh foi o primeiro a ser codificado por Paulo Stekel, em 1991, mas só foi finalizado em 1996 e passou por várias versões, como a de 2003. A versão apresentada neste vídeo é a de 2009, que aparece no primeiro álbum de Stekel, Qadosh - Música Canalizada & Mantras Codificados. Este mantra foi codificado convertendo-se as letras hebraicas do texto que aparece no Livro de Isaías VI, 03 em notas musicais: Qadosh, Qadosh, Qadosh. Yahveh Tsevaoth (Santo, Santo, Santo, Senhor dos Exércitos). Paulo Stekel tem trabalhado com palavras sagradas hebraicas e sânscritas no processo de fazer música codificada. Alguns de seus trabalhos são feitos sob encomenda para algumas pessoas e não aparecem publicamente.

Paulo Stekel é um escritor poliglota, especialista em línguas sagradas, e que trabalha como jornalista, editor, tradutor, revisor e tudo o que se relaciona à espiritualidade universal. Filho de músico, após muitos anos pesquisando a relação entre Canalização, Cabala e Música, passou a desenvolver um trabalho musical específico com música espiritual, que inclui música canalizada e mantras codificados.

Para pedidos da música de Stekel, contate pelo email pstekel@gmail.com .

Mantras - Os sons das letras hebraicas



Vídeo de Paulo Stekel mostrando os sons de cada uma das 22 letras do alfabeto hebraico, conforme a técnica utilizada no seu primeiro álbum, Qadosh - Música Canalizada & Mantras Codificados. A codificação das letras hebraicas em sons segue princípios da Cabala e da Filosofia Esotérica de Helena Blavatsky.

Ao final do vídeo, Stekel toca todas as notas das 22 letras hebraicas em seqüência.

Paulo Stekel é um escritor poliglota, especialista em línguas sagradas, e que trabalha como jornalista, editor, tradutor, revisor e tudo o que se relaciona à espiritualidade universal. Filho de músico, após muitos anos pesquisando a relação entre Canalização, Cabala e Música, passou a desenvolver um trabalho musical específico com música espiritual, que inclui música canalizada e mantras codificados.

Para pedidos das músicas de Stekel, contate pelo email pstekel@gmail.com .

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Como se faz mantras codificados



Vídeo de Paulo Stekel mostrando como se faz mantras codificados pessoais. O mantra codificado pessoal tem características distintas de uma música comum porque deve seguir certos parâmetros. Utilizando a Cabala, o mantra codificado transforma nomes sagrados e também nomes de pessoas em letras hebraicas, e depois em sons, que são tocados segundo certas regras.

Foram escolhidos dois mantras codificados como exemplos para este vídeo: o nome de Jesus Cristo em hebraico, Yeshuach haMashiach; e o nome de Paulo Stekel. As características básicas de cada um são apresentadas ao longo do vídeo.

Os interessados em ter um mantra codificado pessoal podem solicitar mais informações através do email pstekel@gmail.com. Há vários tipos de mantras codificados que podem ser produzidos, conforme o caso.

Uma nova tecnologia musical espiritual para um novo tempo... Canalizar música é sentir o Eu Interno e tirar dali o que há de mais profundo em termos de criatividade sonora para fins espirituais... Codificar mantras em música é apresentar o poder das palavras em sons que curam a alma. (Paulo Stekel)

Paulo Stekel é um escritor poliglota, especialista em línguas sagradas, e que trabalha como jornalista, editor, tradutor, revisor e tudo o que se relaciona à espiritualidade universal. Filho de músico, após muitos anos pesquisando a relação entre Canalização, Cabala e Música, passou a desenvolver um trabalho musical específico com música espiritual, que inclui música canalizada e mantras codificados.

Para pedidos das músicas de Stekel, contate pelo email pstekel@gmail.com .

Como se faz música canalizada



Vídeo de Paulo Stekel mostrando como se faz música canalizada pessoal. A música canalizada pessoal tem características distintas de uma música comum porque deve seguir certos parâmetros, por exemplo: se usamos parâmetros da Cabala, as notas tocadas na música devem refletir a energia da pessoa que solicita esta música.

Foram escolhidas cinco músicas para este vídeo, todas autorizadas pelas pessoas que as encomendaram e que agora têm os direitos sobre elas. As características básicas de cada uma são apresentadas ao longo do vídeo.

Os interessados em ter uma música canalizada pessoal podem solicitar mais informações através do email pstekel@gmail.com. Há vários tipos de músicas canalizadas que podem ser sintonizadas, conforme o caso: pessoal, mantra codificado, música para websites, blogues, consultórios, etc.

Uma nova tecnologia musical espiritual para um novo tempo... Canalizar música é sentir o Eu Interno e tirar dali o que há de mais profundo em termos de criatividade sonora para fins espirituais... Codificar mantras em música é apresentar o poder das palavras em sons que curam a alma. (Paulo Stekel)

Paulo Stekel é um escritor poliglota, especialista em línguas sagradas, e que trabalha como jornalista, editor, tradutor, revisor e tudo o que se relaciona à espiritualidade universal. Filho de músico, após muitos anos pesquisando a relação entre Canalização, Cabala e Música, passou a desenvolver um trabalho musical específico com música espiritual, que inclui música canalizada e mantras codificados.

Para pedidos das músicas de Stekel, contate pelo email pstekel@gmail.com .

Ensinamentos Budistas 01, 02 e 03

* Conforme postado no grupo "Ensinamentos Budistas" do Facebook (Participe: https://www.facebook.com/groups/ensinamentosbudistas/)





sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Stekel Acervo 001 a 137 - trechos

Este mix contém trechos de todas as 137 músicas lançadas por Stekel entre 2008 e 2012 em 9 Cds e diversos singles em mp3. Estas músicas fazem parte do recém-lançado “Acervo Completo em Mp3 – volume com 137 músicas”, disponível pelo e-mail pstekel@gmail.com. Faça seu pedido já! O custo do CD em Mp3 é de apenas R$ 30,00 (trinta reais), sem cobrança de taxas de correios. Aproveite a viagem musical e sinta o estilo inovador e eclético de Stekel.



Lista das músicas:

001 – Qadosh Overture; 002 – Sirius Channeling Earth; 003 – Ten Malachim; 004 – Kar Dag; 005 – Inner Temple; 006 – Pax; 007 – Horizon; 008 – Full Powers Energy; 009 – Healing Sequence; 010 – Ten Shemot; 011 – Qadosh; 012 – Carmen Arvale; 013 – Amor-Alma (participação de Hellen Oliveira); 014 – Qadosh Finale; 015 – Job's Challenge; 016 – Earth from Sky; 017 – Beyond the moon; 018 – Applauses of Bene Elohim; 019 – Beyond Saturn (The gates of death); 020 – The dark shadow of Pluto; 021 – A way to a place of light (participação de Hellen Oliveira); 022 – The chains of the Pleiades; 023 – Within Orion Nebula; 024 – Sagittarius (The galactic core); 025 – Guardians of the ordinances of heaven; 026 – Now, my eye has seen you; 027 – A Merkaba as a gift; 028 – Galaktika (a man becomes light); 029 – Meditando Reiki; 030 – Fogo; 031 – Terra; 032 – Ar; 033 – Água; 034 – Madeira; 035 – Metal; 036 – Mahavidya; 037 – Relaxamento para Reiki; 038 – Sirius Channeling Earth (remix 2010); 039 – Mikhael Meditation; 040 – Cho ku rei; 041 – Sei hei ki; 042 – Hon sha ze sho nen; 043 – Dai ko myo; 044 – Amor-Alma (remix 2010) – participação de Hellen Oliveira; 045 – Horizon (first version remix); 046 – Friendship; 047 – Rigel's Ritual; 048 – Qadosh (space mix); 049 – Galaktika (space mix); 050 – Koach Gavriel; 051 – Dawn of a new eon (short mix); 052 – Carmen Arvale (short remix); 053 – A new golden age for Tibet; 054 – Qadosh & New Age Variation (remix); 055 – Orion & Yahveh Codified (mix); 056 – Earth from Sky (remix); 057 – Hillarion (participação de Sandra Meirelles); 058 – Asehsuyvag; 059 – Pnasar; 060 – Pkhasan Qiyv; 061 – Yahveh Codified; 062 – Brotherhood; 063 – Holos; 064 – Orion (first contact); 065 – Estilo Zen; 066 – Yeshuach haMashiach; 067 – Horizon Dance; 068 – Yehi Or (Haja Luz); 069 – Yehi Or (stretched version); 070 – Tehilat Malakhiym (Trecho do Salmo 91); 071 – Aviynu (Pai Nosso hebraico); 072 – Abbun (Pai Nosso aramaico); 073 – Prece de Cáritas; 074 – Gayatri Mantra; 075 – Qadosh (Trecho do Livro de Isaías); 076 – Ave Maria (versão grega); 077 – Ave Maria (versão latina) – participação de Hellen Oliveira; 078 – Oxum na Cachoeira; 079 – Tara Mantra (Mix de mantras budistas tibetanos); 080 – Prajñaparamita (O Mantra da Grande Compaixão); 081 – Ana Bekoach; 082 – Carmina Fortunalia (Parte 1); 083 – Carmina Fortunalia (Parte 2); 084 – Carmina Fortunalia (Parte 3); 085 – Tibetan Anthem (O Hino do Tibete); 086 – Sonhos (Sueños/Dreams); 087 – Amor-Alma (versão 2011); 088 – Iguais; 089 – Skyward; 090 – Sun; 091 – Mercury; 092 – Venus; 093 – Moon; 094 – Mars; 095 – Jupiter; 096 – Saturn; 097 – Uranus; 098 – Neptune; 099 – Pluto; 100 – Earth (The Age of Aquarius); 101 – Indigo Blue; 102 – Star Seed; 103 – DNA Activation; 104 – The Artist; 105 – The Conceptual; 106 – The Humanist; 107 – The Interdimensional; 108 – Invisible Friend; 109 – Unconditional Love; 110 – Universal Mind; 111 – Towards the Fifth Dimension; 112 – Expressing the Universal Truth; 113 – Contemplating Wisdom; 114 – Mission Indigo; 115 - Towards the Fifth Dimension (uplifting); 116 – New Age Christmas; 117 – Nova Terra (Participação de SuperGisele); 118 – Carmen Arvale (versão 2012) – com SuperGisele e Stekel; 119 – Spiritual Guitar; 120 – Drama de Herois; 121 – Louca e Intensa; 122 – União de Herois; 123 – Stekel Mix for E-book; 124 – Stekelmusic blog theme; 125 – Odes Overture; 126 – Aqshem; 127 – Conselhos de Lentulus; 128 – Mahatmas; 129 – Qedushah; 130 – The Light On The Path; 131 – Aladura; 132 – Stigma Lux; 133 – Recomeço; 134 – Emorê; 135 – Ode To Aleg (Part I); 136 – Ode To Aleg (Part II – Reason to love); 137 – Kârunyatâ (Compassion).

Canalizando espíritos

Por Paulo Stekel



(Fonte da imagem: Reprodução/Psicografia.org)

Quem é espiritualista, já sabia. Agora, uma pesquisa recente feita nos EUA por neurocientistas acaba de confirmar que, quando canalizamos, nosso cérebro se modifica. Seja psicografando mensagens escritas, faladas, canalizando pinturas ou mesmo música (como eu mesmo faço desde 2008), algo acontece no cérebro, e agora a Ciência se volta para este assunto.

Confiram a matéria que saiu no site Tecmundo recentemente, referindo-se à matéria original publicada no site da Discovery em 16 de novembro (ler http://news.discovery.com/human/spirituality-brain-function-mediums-121116.html#mkcpgn=emnws1):

Estudo revela o funcionamento do cérebro de médiuns brasileiros

Pesquisadores norte-americanos analisam atividade cerebral de brasileiros durante sessões de psicografia.


Existem inúmeros médiuns brasileiros de renome internacional, e agora um grupo de neurocientistas norte-americanos decidiu descobrir o que acontece com o cérebro dessas pessoas quando elas estão realizando trabalhos relacionados à psicografia de mensagens.

As mensagens psicografadas são escritas enquanto os médiuns entram em um estado de semiconsciência, durante o qual “abrem um canal de comunicação” com os espíritos e escrevem cartas e mensagens transmitidas por eles de forma automática. Muitas vezes, os textos são redigidos enquanto os médiuns mantêm os olhos fechados, e a escrita normalmente ocorre à grande velocidade.

De acordo com uma notícia publicada pelo site Discovery News, pesquisadores da Universidade da Filadélfia realizaram alguns testes para descobrir quais áreas do cérebro dos médiuns brasileiros ficam ativas durante esse processo, descobrindo que as regiões responsáveis pela linguagem e atividades voluntárias ficam inativas.

Comunicação espiritual

Os neurocientistas avaliaram 10 médiuns brasileiros, dos quais cinco praticam a psicografia há mais de 35 anos, realizando uma média de 15 sessões mensais, e outros cinco participantes, bem menos experientes. Conforme explicaram os pesquisadores, durante o estado de semiconsciência, a atividade cerebral dos mais experientes diminuiu em seis regiões diferentes, normalmente relacionadas com a escrita, concentração e linguagem.

Além disso, os médiuns mais experientes produziram mensagens com conteúdo mais complexo enquanto estavam se comunicado com os espíritos do que quando não estavam psicografando. Aliás, quanto mais experiente o médium, maior era a complexidade das mensagens e mais reduzida era a atividade cerebral. Justamente o contrário do que os pesquisadores esperavam observar.

Por outro lado, as mesmas áreas observadas nos mais experientes se tornaram mais ativas nos cérebros dos novatos, sugerindo que o treinamento pode melhorar a habilidade cerebral de entrar nesse estado de “canal aberto”. Embora a ciência ainda não possa atestar sobre a existência ou não de espíritos entre nós, o estudo nos ajuda a entender melhor como a espiritualidade afeta o nosso cérebro e por que algumas pessoas são mais devotas e espirituais do que outras.

Fonte: Discovery News


Leia abaixo a tradução do artigo original da Discovery (tradução de Paulo Stekel):

“Canalizar Espíritos” desliga partes do cérebro

Quando os espíritos falam através da escrita dos médiuns brasileiros, há uma queda na atividade em partes do cérebro envolvidas na linguagem e atividade proposital.

Por Emily Sohn

O estudo de como o cérebro entra em um estado "espiritual", pode eventualmente oferecer insights sobre as raízes da religião e o motivo de algumas pessoas serem mais devotas que outras.

Durante uma sessão de transe de psicografia, médiuns experientes no Brasil se permitem tornar-se receptivos a espíritos ou almas dos mortos. Então, eles escrevem automaticamente, canalizando as vozes daqueles que acreditam estar falando com eles.

Quando estes médiuns se comunicam com os mortos, conforme um novo estudo, partes de seus cérebros envolvidos na linguagem e atividade proposital desligam, junto com outros padrões de atividade aumentada e diminuída.

As descobertas aumentam nossa compreensão limitada de como o cérebro espiritual funciona, embora até agora, a ciência não possa falar sobre a existência do mundo espiritual.

"Eu não acho que isso torne qualquer coisa (a experiência) menos real ou menos profunda ou a torne menos importante no momento", disse Andrew Newberg, neurocientista da Universidade Thomas Jefferson, na Filadélfia.

"Em algum momento, talvez venhamos a projetar o estudo perfeito que possa provar que ali não existiam espíritos e que esta é apenas uma maneira fascinante pela qual o cérebro funciona", acrescentou. "No momento, tudo o que estamos fazendo realmente é dizer que isso é o que acontece no cérebro quando você faz essa prática em particular."

Na tentativa de entender como o cérebro humano experimenta a espiritualidade, Newberg e seus colegas estudaram uma série de práticas, incluindo yoga, meditação, oração e o falar em línguas.

Desta vez, ele se voltou para a psicografia, uma entre uma variedade de práticas associadas com médiuns, que perdem seu próprio senso de si mesmos assim que se conectam com as almas externas.

Dos dez psicógrafos brasileiros considerados no estudo, cinco eram especialistas que vinham praticando por uma média de 37 anos e realizavam uma média de 15 sessões por mês. Os outros cinco eram novatos que vinham praticando por muito menos tempo e com muito menos frequência. Todos estavam bem ajustados e mentalmente saudáveis.

Cada médium entrou em um estado de transe e começou a escrever. Após 10 minutos, os cientistas injetaram neles um marcador radioativo que viajou pelo cérebro, onde essencialmente ficou bloqueado no local, refletindo quanto sangue saía para as várias partes do cérebro, no momento da injeção. Quando a sessão terminou 15 minutos depois, um scanner iluminou aquele momento para os pesquisadores.

Comparado com momentos em que eles estavam simplesmente escrevendo sobre seus pensamentos, as sessões de psicografia induziram uma série de mudanças cerebrais em médiuns experientes, conforme os pesquisadores relatam hoje na revista PLoS ONE. Especificamente, a atividade diminuiu em seis áreas, incluindo o hipocampo esquerdo, o cingulado anterior esquerdo e o giro superior direito temporal.

As partes que desligaram enquanto os espíritos moviam suas mãos são áreas normalmente envolvidas em escrita ativa, concentração e processamento da linguagem, disse Newburg. Tendências semelhantes apareceram em um estudo anterior de pessoas que falavam em línguas. Ambos os grupos partilham a crença comum de que espíritos se movem através deles para ser ouvidos.

Neste novo estudo os novatos mostraram o padrão oposto, com aumento de atividade nas mesmas partes do cérebro que desligam nos praticantes avançados, o que sugere que o treinamento melhora a capacidade do cérebro para entrar em um estado de canalização de espíritos.

Para surpresa de Newburg, psicógrafos experientes também produziram linguagem mais complexa consistente no papel quando entraram em um estado de transe.

"Seria de esperar que isso significasse que as áreas de linguagem eram mais ativas, pois eles estavam fazendo escritos mais detalhados", disse ele. "Na verdade, foi exatamente o oposto. Quanto menos ativo o cérebro era e mais experiente a pessoa era, mais complexo era o escrito."

Com tão poucos estudos realizados sobre os cérebros de pessoas envolvidas em atividades espirituais, a nova pesquisa é uma contribuição útil para o campo da neuroteologia, disse Patrick McNamara, neuropsicólogo da Northcentral University, em Prescott Valley, Arizona.

Mais pesquisa pode eventualmente revelar padrões confiáveis de ativação cerebral que ocorrem em todas as disciplinas espirituais, quem sabe, oferecendo uma visão sobre as raízes da religião e por que algumas pessoas são mais devotas que outras.

"Então, nós podemos fazer as grandes perguntas", disse McNamara. "É a ativação do estado cerebral necessária para se entrar na experiência espiritual? Ou é a experiência espiritual a chave para ativar essas áreas do cérebro?"

"Algumas pessoas acham mais fácil acessar essas áreas do cérebro associadas com a espiritualidade. Outras pessoas têm que trabalhar muito mais em suas vidas religiosas. Sabemos disso há séculos", acrescentou. "A ciência do cérebro apenas nos permite dar uma explicação mais concreta sobre o porquê este é o caso."


Som - a chave para acabar com a guerra e a poluição?

Por Christan Hummel

Nota de Stekel: Este artigo saiu em 2000 na extinta Revista Amaluz e nos foi compartilhado pelo amigo Aníbal por email. Reproduzo aqui pela importância do assunto neste momento de transição planetária e pelo fato do trabalho musical que desenvolvo estar ligado ao poder do som na música em situações relacionadas a saúde, reequilíbrio energético, harmonização, relaxamento e melhora do ambiente externo e interno do Ser.


Ele está sempre em torno de nós, não importa o que façamos, nem para onde vamos. Som. As vibrações das moléculas que geram efeitos em nossos ouvidos, a que chamamos de som. Mas, e se o som for mais fundo do que isso? E o aspecto do som que vai além do que conseguimos ouvir? Conforme o antigo koan budista pergunta: "Se uma árvore cai na floresta e ninguém está lá para ouvir, ela produz um som?" E aquele aspecto do som que existe à parte de nossa capacidade de ouvir? O som é a substância primordial, da qual é feita toda nossa realidade, e da qual nosso universo se originou. Quer se consulte os Vedas sânscritos ou a Bíblia, é sempre o som que é considerado o coração de toda existência. "No início foi o Verbo", e só depois foi proclamado "Faça-se a Luz". O som precedeu a tudo o que vemos. Tão poderoso e que em tudo penetra, e, no entanto prestamos muito pouca atenção a ele, e muitas vezes o confundimos com barulho.

Existe uma conexão íntima entre som e luz, tal como chamas gêmeas uma da outra, onde existe uma, a outra existe também. O som é o tecido subjacente da vibração e é o que cria os padrões de luz que vemos em torno de nós. Na pesquisa Cymatics do Dr. Hans Jenny, ele apresenta em um vídeo os diferentes padrões formados quando freqüências de luz variadas são introduzidas em um prato com cristais de areia. Stan Tenen, da Fundação Meru, demonstra outra correlação entre som e forma, observando as letras do alfabeto hebreu, cujas formas correspondem à forma de sua onda sonora quando os sons das mesmas letras são analisados. Em outro experimento, monges tibetanos foram gravados cantando o OM. Isso foi depois tocado através de um prato ressonante, com cristais em cima. Em poucos segundos, a areia começou a vibrar, e formou um padrão chamado de Sri Yantra, que é considerado na crença hindu, como o padrão da Criação do universo.

Isso significa que para cada som existe uma forma ou padrão correspondente, que pode ser visto. Penetrar nas vibrações do som sob esses padrões é uma chave para dar forma ao nosso mundo exterior. Uma vez feito isso, poderemos formar de novo o mundo, a partir de dentro. Um poderoso exemplo disso é a ressonância, a força que faz com que pontes caiam quando os exércitos caminham em conjunto por elas, ou que faz com que uma taça se quebre quando um cantor atinge determinada nota, ou que faz com que os pêndulos de todos os relógios de uma sala balancem em conjunto. Quando as vibrações de som vibram em ressonância, somos capazes de transformar o mundo em torno de nós.

Isso é exatamente o que tanto os cientistas quanto os metafísicos estão pesquisando atualmente. Descobrindo o poder oculto do som, e principalmente da ressonância, para transformar o mundo em torno de nós. Em um estudo recente, a Força Aérea aplicou um padrão de som específico a um de dois tubos de teste contendo dióxido de nitrogênio, um poluente encontrado na atmosfera. Nada foi feito ao outro tubo. Quando o som foi aplicado ao primeiro tubo, ele instantaneamente mudou sua composição química, enquanto o segundo tubo permaneceu exatamente igual. (1)

As aplicações desse princípio estão sendo usadas em esforços para a diminuição da poluição no mundo inteiro, com enormes resultados. Usando uma unidade de transmissão, de metal, chamada harmonizador (um objeto geométrico feito de cobre torcido, que atua como uma antena), uma freqüência de som é aplicada e transmitida pelo ambiente circundante, fazendo com que as moléculas dancem em uma batida diferente, por assim dizer, e se realinhem em elementos não poluidores. (2)

Esses experimentos foram conduzidos em operações em pequena escala no mundo inteiro, patrocinadas por pequenos grupos de indivíduos, com resultados surpreendentes, como a queda de 40% nos níveis de poluição dentro de um mês desde o início do programa.(3)

Em minha pesquisa sobre o assunto, descobri que usar o som dessa maneira estava muito longe de ser uma descoberta. Na Índia antiga, os sacerdotes brâmanes costumavam realizar um ritual chamado Agni-hotra, uma cerimônia com fogo, que envolvia o uso de um pote geométrico de cobre, em forma de pirâmide, de dimensões muito precisas, o fogo sagrado, e o canto de certos mantras, exatamente ao nascer e ao pôr do sol. Foi cientificamente documentado que esse processo diminui os vírus e as bactérias patogênicas, e os níveis de poluição, em uma área de duas milhas a partir do local onde a cerimônia está sendo realizada. (4)

Os efeitos do som podem ser vistos nos domínios esotéricos também. Os golfinhos usam o som para curar, e nós também. Em seu livro Healing Sounds, Jonathan Goldman discute como a entonação [toning] (uma técnica que utiliza um som esculpido), Pode mudar a energia parada de nossa aura, permitindo que nossa própria energia natural flua mais livremente. (5)


Em um caso, uma mulher com mal de Parkinson, ficou completamente sem sintomas um dia depois de ouvir certos padrões de som, que eram uma combinação da ressonância da Câmara dos Reis, no Egito, e da molécula do hidrogênio. (6)

Em outro caso, um homem saiu de um coma depois de algumas horas ouvindo uma gravação de sinais de áudio que tentavam reproduzir o padrão de criação do universo.(7)

As histórias são numerosas, e cada uma mais surpreendente do que a outra. Durante uma experiência há um ano atrás, percebi pessoalmente a capacidade do som para curar quando fui visitado por um grupo de golfinhos que vieram para mim nos planos interiores e começaram a mostrar-me como entonar no corpo de alguém para ajudar a aliviar a dor. Quando me orientaram a fazer certos sons no corpo dessa pessoa, ela pôde sentir a dor sendo aliviada enquanto o som penetrava nela. Outro grupo interdimensional de seres, chamados os Hathors, ao qual eram dedicados templos em Dendara, no Egito, também empregava o som como meio de cura e de comunicação. Eles estiveram trabalhando também com a Terra, para ajudá-la em sua transição para outro nível dimensional de consciência, primariamente através do uso do som. (8)

Temos sido orientados, durante o ano passado, trabalhando com a cooperação dos Hathors, a usar o som para modificar padrões distorcidos de energia que existem na Terra e que são conhecidos como zonas de estresse geopático. (9)

Esses padrões de energia são resultado de emoções não resolvidas da humanidade, guerras, conflitos, ou desrespeito para com espaços sagrados. Temos descoberto que, trabalhando com Espíritos da Natureza, ou devas, da área, e proporcionando-lhes vibrações de sons, eles são capazes de usar essas freqüências para curar as distorções da Terra naquelas áreas. É interessante observar também quantos grupos indígenas utilizaram alguma forma de som com propósitos sagrados e cerimoniais. Os povos aborígines tocam o digereedo (instrumento musical) ao longo das linhas de Canção da Terra. Numerosas tribos de nativos americanos usam cantos cerimoniais, tambores e música, para criar vibrações medicinais oferecidas para mudar os padrões distorcidos mantidos dentro da Terra.

Testemunhamos pessoalmente numerosos acontecimentos que vão do simplesmente surpreendentes até aos milagrosos, quando esses padrões distorcidos são mudados. Em um caso, em Cape Town, na África do Sul, vimos a poluição de uma área chamada Cape Flats desaparecer em questão de 30 minutos depois de uma cerimônia usando pouco mais do que vibrações de som, transmitidas por um instrumento chamado harmonizador. Uma estação de rádio em Cape Town começou a usar esse harmonizador e uma gravação de áudio com a forma da onda da molécula da água. Eles tocaram isso em níveis inaudíveis, em sua estação de rádio, transmitindo de sua torre, e dentro de uma semana registraram um aumento sem precedentes de 47% em sua audiência.

O interessante é que, durante o mês em que um grupo de nove indivíduos começou a tocar esse padrão de som através desses harmonizadores em Cape Town, numerosas baleias começaram a aparecer em toda a área, um mês antes do que normalmente elas começavam a surgir.

Em São Paulo, apenas um dia depois de usar as vibrações de som em cooperação com as forças dévicas para normalizar os padrões geopáticos, a poluição diminuiu tanto que foi notícia de primeira página nos jornais. Mesmo o trânsito, que é um grande problema, em uma cidade de 20 milhões de habitantes, havia melhorado tanto que as pessoas comentavam sobre isso, uma semana depois. Além disso, a economia brasileira deu uma virada inesperada e apresentou uma importante recuperação, alguns dias depois da sessão de remoção (limpeza) geopática. Por "coincidência" a área da qual o estresse geopático foi removido, era o centro financeiro da cidade.
Em Vancouver, Los Angeles, Auckland e Denver, quando esses padrões de som foram aplicados aos padrões vibracionais distorcidos da área usando os harmonizadores, a taxa de criminalidade dessas cidades caiu de 30% a 50% depois de alguns meses. (10)

Em uma escala global, o menestrel cantor James Twyman viaja pelo mundo promovendo concertos de paz em áreas conflagradas. Utilizando o poder da própria voz para produzir padrões vibracionais harmônicos, e combinando-os com orações pela paz feitas pelos auditórios, ele tem visto a paz restaurada como que por milagre, nas regiões nas quais os concertos têm sido realizados. (11)

Seria isso tão simples? Parece que sim. Esse poder do som, oculto e sub-utilizado, está mudando o curso dos acontecimentos em nosso planeta.

Om Namah Shivaya

(Christan Hummel)



Notas de rodapé

(1) A gravação usada chama-se Swept Clear e é uma forma de onda de áudio de uma nuvem de chuva.
(2) Ver o site http://www.earthtransitions.com
(3) Houve de 30 a 40 por cento de redução de monóxido de carbono, dióxido de nitrogênio e ozônio, em Denver, Caracas, Cidade do México, Los Angeles, San Diego e Phoenix.
(4) Para mais informações sobre o Agni-hotra, ver: http.//www.summit.net/home/Agnihotra/
(5) Tom Kenyons, de Acoustic Brain Research demonstra como o som afeta os padrões de ondas cerebrais e o sistema imunológico.
(6) O CD usado chama-se Living Light/Living Waters, de Rodrigo Navarro
(7) A gravação usada chama-se Creation Wave
(8) Para saber mais sobre as conexões entre os Hathors e o Egito, ver: www.floweroflife.com
(9) Ver http://www.earthtransitions.com para maiores informações sobre as zonas de estresse geopático e seus efeitos.
(10) A taxa de criminalidade de Vancouver caiu 30% em dois meses, a de Denver, 51%, a de Los Angeles, 40% em três meses, e a de Auckland, 50%.
(11) Ver Emissary of Light, de James Twyman.Christan Hummel tem viajado internacionalmente para ajudar as pessoas a estabelecer grupos de trabalho para a diminuição das taxas de poluição em suas comunidades locais, e dá oficinas em todo o mundo ensinando as pessoas a se comunicar e a trabalhar em harmonia para curar (melhorar) a Terra.
http://www.earthtransitions.com



"O DNA pode ser influenciado e reprogramado por palavras e frequências" [artigo traduzido por Stekel]


FONTE: http://quantumpranx.wordpress.com/dna-can-be-influenced-and-reprogrammed-by-words-and-frequencies/  

Por Grazyna Fosar e Franz Bludorf – Quantum Pranx Descobertas da Rússia sobre o DNA: Versão Original  

Tradução para o Português: Paulo Stekel (pstekel@gmail.com)*  

* Há uma outra tradução deste artigo para o Português disponível na Internet. Contudo, ao comparar com o original, Stekel encontrou imprecisões e adendos não originais, o que lhe motivou fazer a sua própria tradução, para benefício de todos os interessados. Afinal, o texto original se refere também aos Índigos, tema do próximo álbum de Stekel. O artigo traz uma explicação para o processo índigo conforme a proposta dos pesquisadores russos.

O DNA HUMANO É UMA INTERNET BIOLÓGICA e superior em muitos aspectos à rede artificial. A mais recente pesquisa científica russa, direta ou indiretamente, explica fenômenos como clarividência, intuição, atos de cura remotos e espontâneos, auto-cura, técnicas de afirmação, luz/aura incomum em torno de pessoas (isto é, mestres espirituais), influência da mente sobre padrões climáticos e muito mais. Além disso, há evidências de um tipo totalmente novo de medicina em que o DNA pode ser influenciado e reprogramado por palavras e frequências SEM remover e substituir um único gene.

Apenas 10% do nosso DNA está sendo usado para construir proteínas. É este subconjunto do DNA que é do interesse dos pesquisadores ocidentais e está sendo examinado e categorizado. Os outros 90% são considerados “DNA lixo”. Os investigadores russos, no entanto, convencidos de que a natureza não era estúpida, se juntaram a linguistas e geneticistas em um empreendimento para explorar os 90% de “DNA lixo”. Seus resultados, descobertas e conclusões são simplesmente revolucionários! Segundo eles, nosso DNA não é apenas responsável pela construção do nosso corpo, mas também serve como armazenamento de dados e na comunicação. Os linguistas russos compreenderam que o código genético, especialmente nos 90% aparentemente inúteis, seguem as mesmas regras que todas as nossas linguagens humanas. Para este fim, eles compararam as regras da sintaxe (a forma em que as palavras são unidas para formar frases e sentenças), a semântica (o estudo do significado nas formas de linguagem) e as regras básicas da gramática.

Eles descobriram que os alcalinos de nosso DNA seguem uma gramática regular e têm conjuntos de regras como as nossas línguas. Assim, as línguas humanas não surgiram coincidentemente, mas são um reflexo do nosso DNA inerente. O biofísico russo e biólogo molecular Pjotr Garjajev e seus colegas exploraram também o comportamento vibracional do DNA. [Por uma questão de brevidade, darei apenas um resumo aqui. Para uma maior exploração, por favor consulte o apêndice no final deste artigo] A questão de fundo era: “Cromossomos vivos funcionam como computadores solitônicos/holográficos que usam a irradiação laser do DNA endógeno”. Isso significa que eles conseguiram, por exemplo, modular determinados padrões de frequência sobre um raio laser e com isso influenciaram a frequência do DNA e, assim, a própria informação genética. Uma vez que a estrutura básica dos pares alcalinos do DNA e da linguagem (como explicado anteriormente) são da mesma estrutura, nenhuma decodificação do DNA é necessária.

Pode-se simplesmente usar palavras e sentenças da linguagem humana! Isto, também, foi provado experimentalmente! A substância do DNA vivo (no tecido vivo, não in vitro), sempre reagirá aos raios laser modulados na linguagem e até mesmo a ondas de rádio, se as frequências apropriadas estiverem sendo usadas.

Isso explica finalmente e cientificamente por que afirmações, treinamento autógeno, hipnose e similares podem ter efeitos tão fortes nos humanos e em seus corpos. É perfeitamente normal e natural para o nosso DNA reagir à linguagem. Enquanto os pesquisadores ocidentais cortam genes simples das fibras do DNA e inserem-nos em outra parte, os russos trabalharam entusiasticamente nos artifícios que podem influenciar o metabolismo celular através de adequadas frequências moduladas de rádio e de luz e assim reparar defeitos genéticos.

O grupo de pesquisa de Garjajev conseguiu provar que com este método cromossomos danificados por raios-x, por exemplo, podem ser reparados. Eles até capturaram padrões de informação de um DNA particular e os transmitiram para outro, reprogramando assim as células para outro genoma. Assim, eles transformaram com êxito, por exemplo, embriões da rã em embriões de salamandra, simplesmente ao transmitirem os padrões de informação do DNA! Desta forma, toda a informação foi transmitida sem quaisquer dos efeitos secundários ou desarmonias encontrados quando se extrai e se reintroduz genes simples do DNA. Isto representa uma revolução inacreditável e uma transformação mundial e sensacional! Tudo isso pela simples aplicação de vibração e linguagem em vez do procedimento de corte arcaico! Este experimento demonstra o poder imenso da genética, que obviamente tem uma influência maior sobre a formação de organismos do que os processos bioquímicos das sequências alcalinas.

Os instrutores espirituais e os esotéricos têm sabido por eras que nosso corpo é programável pela linguagem, palavras e pensamentos. Isto já foi cientificamente provado e explicado. É claro que a frequência tem que ser correta. E é por isso que nem todos são igualmente bem-sucedidos ou podem fazê-lo sempre com igual força. O indivíduo deve trabalhar nos processos internos e na maturidade, a fim de estabelecer uma comunicação consciente com o DNA. Os pesquisadores russos trabalham em um método que não é dependente destes fatores, mas que SEMPRE funcionará desde que se use a frequência correta.

Mas quanto mais desenvolvida a consciência de um indivíduo é, menos necessidade há para qualquer tipo de dispositivo! Pode-se conquistar estes resultados por si mesmo, e a ciência finalmente deixará de rir de tais ideias e confirmará e explicará os resultados. E não termina aí. Os cientistas russos descobriram também que o nosso DNA pode causar padrões perturbadores no vácuo, produzindo assim buracos de minhoca (orig. wormholes) magnetizados! Buracos de minhoca são os equivalentes microscópicos das assim chamadas pontes de Einstein-Rosen na vizinhança dos buracos negros (deixados pelas estrelas extintas). Estes são conexões subterrâneas entre áreas totalmente diferentes no universo através das quais a informação pode ser transmitida fora do espaço e tempo. O DNA atrai estas unidades de informação e as passa para nossa consciência. Este processo de hiper-comunicação é mais eficaz em um estado de relaxamento. Estresse, preocupações ou um intelecto hiperativo impede uma hiper-comunicação bem sucedida ou a informação será totalmente distorcida e inútil.

Na natureza, a hiper-comunicação foi aplicada com sucesso por milhões de anos. O fluxo organizado de vida em estados de insetos prova isto dramaticamente. O homem moderno conhece isto somente a um nível muito mais sutil como “intuição”. Mas nós, também, podemos reconquistar o uso pleno do mesmo. Um exemplo da Natureza: Quando uma formiga rainha está separada espacialmente de sua colônia, a construção ainda continua fervorosamente e de acordo com o plano. Se a rainha for morta, entretanto, todo o trabalho na colônia para. Nenhuma formiga sabe o que fazer. Aparentemente, a rainha envia os “planos de construção”, também de longe através da consciência de grupo de seus subordinados. Ela pode estar tão longe quanto quiser, contanto que esteja viva. No homem, a hiper-comunicação é mais frequentemente encontrada quando subitamente se ganha acesso à informação que está fora de uma base de conhecimento. Tal hiper-comunicação é então experienciada como inspiração ou intuição. O compositor italiano Giuseppe Tartini, por exemplo, sonhou em uma noite que um demônio sentou em sua cama tocando um violino. Na manhã seguinte Tartini foi capaz de anotar a peça exatamente de memória; ele a chamou de Sonata do Trino do Demônio.

Durante anos, um enfermeiro de 42 anos sonhou com uma situação em que estava ligado a uma espécie de CD-ROM de conhecimento. O conhecimento verificável de todos os campos imagináveis foi então transmitido a ele, que era capaz de se lembrar pela manhã de todo o conteúdo. Houve um tal fluxo de informação que parecia que toda uma enciclopédia era transmitida à noite. A maioria dos fatos eram exteriores ao seu conhecimento básico pessoal e alcançava detalhes técnicos sobre os quais ele não sabia absolutamente nada.

Quando a hiper-comunicação ocorre, pode-se observar no DNA, assim como no ser humano, fenômenos especiais. Os cientistas russos irradiaram com luz laser amostras de DNA. Na tela um padrão de onda típica foi formado. Quando eles removeram a amostra de DNA, o padrão de onda não desapareceu, ele permaneceu. Muitas experiências de controle mostraram que o padrão ainda vinha da amostra removida, cujo campo de energia permaneceu aparentemente por si mesmo. Este efeito é agora chamado efeito DNA fantasma. Supõe-se que a energia de fora do espaço e do tempo ainda flui através do buracos de minhoca ativados depois que o DNA foi removido. O efeito secundário encontrado muito frequentemente na hiper-comunicação também nos seres humanos são campos eletromagnéticos inexplicáveis na adjacência das pessoas em causa. Aparelhos eletrônicos como CD players e similares podem ser estimulados e parar de funcionar por horas. Quando o campo eletromagnético se dissipa vagarosamente, os aparelhos funcionam normalmente de novo. Muitos curadores e sensitivos conhecem este efeito de seu trabalho. Quanto melhor a atmosfera e a energia, o mais frustrante é que o dispositivo de gravação para de funcionar e gravar exatamente naquele momento. E, repetidos ligar e desligar após a sessão ainda não restaura a função, mas na manhã seguinte tudo volta ao normal. Talvez isto seja tranquilizador de ler para muitos, porque não tem nada a ver com eles serem tecnicamente incapazes; isso significa que eles são bons em hiper-comunicação.

Em seu livro Vernetzte Intelligenz (Rede de Inteligência), Grazyna Gosar e Franz Bludorf explicam estas conexões precisa e claramente. Os autores também citam fontes presumindo que em épocas anteriores a humanidade tinha sido, assim como os animais, muito fortemente ligada à consciência de grupo, agindo como um grupo. Para desenvolver a individualidade e a experiência nós, humanos, porém, tivemos de esquecer a hiper-comunicação quase completamente. Agora que estamos absolutamente estáveis em nossa consciência individual, podemos criar uma nova forma de consciência de grupo, ou seja, uma, na qual chegamos a acessar toda a informação através do nosso DNA sem sermos forçados ou remotamente controlados sobre o que fazer com essa informação. Nós agora sabemos que, assim como na Internet o nosso DNA pode alimentar seus dados apropriados na rede, pode chamar os dados da rede e pode estabelecer contato com outros participantes da rede. A cura à distância, telepatia ou “sensibilidade à distância” sobre o estado de parentes, etc, pode assim ser explicada. Alguns animais sabem também à distância quando seus donos planejam voltar para casa. Aquilo pode ser atualmente interpretado e explicado por meio de conceitos da consciência de grupo e hiper-comunicação. Nenhuma consciência coletiva pode ser sensivelmente usada em qualquer período de tempo sem uma individualidade distinta. Caso contrário, teríamos que reverter para um instinto de grupo primitivo que é facilmente manipulado.

A hiper-comunicação no novo milênio significa algo muito diferente: Os pesquisadores acreditam que se os humanos com plena individualidade recuperarem a consciência de grupo, eles teriam um poder divino para criar, alterar e moldar as coisas na Terra! E a humanidade está se movendo coletivamente em direção a uma consciência de grupo de novo tipo. Cinquenta por cento das crianças de hoje serão crianças problema assim que irem à escola. O sistema trata a todos globalmente e exige um ajuste. Mas a individualidade das crianças de hoje é tão forte que elas se recusam a este ajuste e desistem de suas idiossincrasias dos modos mais diversos.

Ao mesmo tempo, mais e mais crianças clarividentes nascem [veja o livro "China's Indigo Children" (Crianças Índigo da China) por Paul Dong ou o capítulo sobre os Índigos em meu livro "Nutze die taeglichen Wunder" (Faça Uso das Maravilhas Diárias)]. Algo nestas crianças está se esforçando mais e mais para a consciência de grupo de novo tipo, e deixará de ser reprimido. Como regra, o clima, por exemplo, é mais difícil de influenciar por um único indivíduo. Mas pode ser influenciado por uma consciência de grupo (nada de novo para algumas tribos que fazem isto em suas danças da chuva). O clima é fortemente influenciado pelas frequências da ressonância da Terra, as assim chamadas frequências Schumann. Mas estas mesmas frequências são também produzidas em nossos cérebros, e quando muitas pessoas sincronizam o seu pensamento ou indivíduos (os mestres espirituais, por exemplo) focalizam os seus pensamentos à maneira de um laser, então cientificamente falando, não é de todo surpreendente se, assim, eles puderem influenciar o clima.

Pesquisadores da consciência de grupo formularam a teoria das civilizações de Tipo I. Uma humanidade que desenvolveu uma consciência de grupo de novo tipo não teria nem problemas ambientais nem carência de energia. Pois, se fosse para usar seu poder mental como uma civilização unida, teria o controle das energias de seu planeta natal como uma consequência natural. E isso inclui todas as catástrofes naturais! Uma civilização teórica Tipo II seria mesmo capaz de controlar todas as energias de sua galáxia natal. No meu livro “Nutze taeglichen die Wunder”, eu descrevi um exemplo disto: Sempre que um grande número de pessoas centra a sua atenção ou consciência em algo semelhante, como Natal, campeonato mundial de futebol ou o funeral de Lady Diana na Inglaterra, então determinados geradores de números aleatórios em computadores começam a apresentar números ordenados ao invés dos aleatórios. Uma consciência de grupo ordenada cria a ordem em todo o seu entorno! [http://noosphere.princeton.edu/fristwall2.html] [1] Quando um grande número de pessoas se reúne muito intimamente, os potenciais de violência também se dissolvem. Parece que aqui, também, um tipo de consciência humanitária de toda a humanidade é criada.

Na Parada do Amor, por exemplo, onde todos os anos cerca de um milhão de jovens se reúnem, nunca houve quaisquer tumultos brutais como quando eles ocorrem, por exemplo, em eventos esportivos. O nome do evento em si não é visto como a causa aqui. O resultado de uma análise indicou que o número de pessoas era MUITO GRANDE para permitir uma inclinação para a violência.

Para voltar ao DNA: Aparentemente ele é também um supercondutor orgânico que pode funcionar na temperatura normal do corpo. Supercondutores artificiais requerem temperaturas extremamente baixas, entre 200° e 140° C para funcionar. Como se soube recentemente, todos os supercondutores são capazes de armazenar luz e, assim informação. Esta é uma explicação de como o DNA pode armazenar informações. Há um outro fenômeno ligado ao DNA e aos buracos de minhoca. Normalmente, esses buracos de minhoca super-pequenos são altamente instáveis e são mantidos somente por frações mínimas de segundo. Sob certas condições (leia sobre isso no livro Fosar/Bludorf acima) buracos de minhoca estáveis podem se organizar por si mesmos, os quais formam então domínios distintos do vácuo, em que, por exemplo, a gravidade pode se transformar em eletricidade.

Os domínios do vácuo são bolas auto-radiantes de gás ionizado que contêm quantidades consideráveis de energia. Há regiões na Rússia onde tais bolas brilhantes aparecem muito frequentemente. Seguindo a confusão resultante, os russos iniciaram programas de investigação maciça que conduziram finalmente a algumas das descobertas mencionadas acima. Muitas pessoas conhecem os domínios do vácuo como estrelas brilhantes no céu. Com o olhar atento nelas eles imaginam e se perguntam o que elas poderiam ser. Eu pensei uma vez: “Olá, lá em cima. Se vocês forem OVNIs, voem em um triângulo.” E de repente, as bolas de luz se moveram em um triângulo. Ou elas se atiraram no céu como discos de hóquei no gelo. Eles aceleraram de zero a velocidades loucas enquanto deslizavam suavemente pelo céu. Isto foi feito simploriamente e eu, como muitos outros, também, pensamos neles como OVNIs. Amistosos, aparentemente, já que eles voaram em triângulos apenas para me agradar. Agora, os russos descobriram, nas regiões onde os domínios do vácuo aparecem frequentemente e que algumas vezes voam como bolas de luz do chão para o céu, que estas bolas podem ser guiadas por pensamentos. Descobriu-se desde que os domínios do vácuo emitem ondas de baixa frequência até como eles são também produzidos em nossos cérebros.

E devido a esta similaridade de ondas, eles são capazes de reagir aos nossos pensamentos. Correr ansiosamente para dentro de uma que está no nível do solo poderia não ser uma grande ideia, porque estas bolas de luz podem conter energias imensas e serem capazes de produzir mutações em nossos genes. Elas podem, não necessariamente produzirão, alguém pode dizer. Para muitos, instrutores espirituais produzem também tais bolas visíveis ou colunas de luz na meditação profunda ou durante o trabalho de energia que estimulam decididamente sentimentos agradáveis e não causam nenhum dano. Aparentemente, isto também é dependente de uma certa ordem interna e da qualidade e procedência do domínio do vácuo. Há alguns instrutores espirituais (o jovem inglês Ananda, por exemplo), com quem nada é visto no início, mas quando se tenta tirar uma fotografia enquanto ele se senta, fala ou medita na hiper-comunicação, obtém-se apenas uma imagem de uma nuvem branca sobre uma cadeira. Em alguns projetos de cura da Terra, tais efeitos de luz aparecem também nas fotografias. Simplificando, estes fenômenos têm a ver com as forças da gravidade e anti-gravidade, que também são exatamente descritas no livro, e com os sempre mais estáveis buracos de minhoca e a hiper-comunicação e, portanto, com as energias de fora de nossa estrutura de tempo e espaço.

Gerações anteriores que entraram em contato com tais experiências de hiper-comunicação e domínios visíveis do vácuo estavam convencidas de que um anjo tinha aparecido diante delas. E nós não podemos estar muito certos de que formas de consciência podemos ter acesso ao usar a hiper-comunicação. Não ter provas científicas da sua existência real (pessoas que têm tido tais experiências, NÃO são todas que sofrem de alucinações), não significa que não há base metafísica para isto. Nós temos simplesmente dado outro passo gigantesco em direção à compreensão de nossa realidade.

A ciência oficial também conhece as anomalias da gravidade na Terra (que contribuem para a formação de domínios do vácuo), mas somente aqueles abaixo de um por cento. Mas recentemente as anomalias da gravidade foram encontradas entre três e quatro por cento. Um destes lugares é Rocca di Papa, no sul de Roma (local exato no livro Vernetzte Intelligenz e vários outros). Objetos redondos de todos os tipos, desde bolas até ônibus lotados rolam em direção ladeira ACIMA. Mas a área em Rocca di Papa é bastante curta, e desafiando a lógica os céticos continuam a fugir para a teoria da ilusão de ótica (o que não pode ser devido a várias características do local).  

Todas as informações são extraídas do livro Vernetzte Intelligenz, von und Franz Grazyna Fosar Bludorf, ISBN 3930243237, resumidos e comentados por Baerbel. O livro só é, infelizmente, disponível em alemão, até então. Você pode chegar aos autores aqui: www.fosar-bludorf.com 

[2]; Transmitidas por Vitae Bergman:[www.ryze.com/view.php?who=vitaeb]

[3] Referências:

1. http://noosphere.princeton.edu/fristwall2.html

2. http://www.fosar-bludorf.com

3. http://www.ryze.com/view.php?who=vitaeb

Original: http://quantumpranx.wordpress.com/dna-can-be-influenced-and-reprogrammed-by-words-and-frequencies/

Numerologia Hebraica


O que é Numerologia Hebraica?

Trata-se de um sistema de numerologia diferente da numerologia pitagórica (de 1 a 9) e da numerologia cabalística baseada nos Arcanos do Tarô (de 1 a 78). Consiste em converter o nome original de pessoas ou empresas em português (ou qualquer outra língua) para a sua forma hebraica, de acordo com as regras fonéticas e ortográficas desta língua. A análise baseia-se mais no som do que na forma de se escrever o nome.

Os dados necessários são nome completo de nascimento e data de nascimento. As pessoas que possuem nome de casamento também podem incluir esse dado para uma análise complementar. Também podem incluir a assinatura para uma análise especial. Do nome em hebraico é que são feitos os cálculos que indicam o número de vida (principal) e os números menores que influenciam nossa vida. A data de nascimento serve para definir o destino cármico. Os números analisados podem ir de 1 a 400. Mesmo os números acima de 400 são analisados nesta base.

Também é indicada a energia angélica do nome, sua cor, dia da semana e números favoráveis. Por fim, é definido o "mantra hebraico" no qual vibra o nome e que tem a propriedade de harmonizá-lo. Este mantra pode ser pronunciado pela pessoa todos os dias, num mínimo de SETE vezes, voltando-se para o NASCENTE e concentrando-se nos objetivos pessoais.

Como se pode imaginar, o numerólogo que se proponha a trabalhar com Numerologia Hebraica deve conhecer a língua hebraica (língua-mãe da Cabala) o suficiente para poder converter os nomes para este idioma e analisar os possíveis nomes sagrados a que os números encontrados correspondam.

Um detalhe importante: Numerologia não é adivinhação. Ela apenas apresenta tendências gerais da pessoa ou empresa e também sugere algumas modificações nas atitudes que possam ser prejudiciais ao indivíduo, quando isto se faz necessário.
Tópicos da Numerologia Pessoal:

1 - Análise do número de letras e palavras hebraicas: Define as características gerais da personalidade. O número de letras e palavras equivale à primeira impressão que a pessoa deixa no outros. Não se refere à alma do indivíduo, mas sim como os outros o vêem.

2 - Análise da data de nascimento: Define o destino cármico da pessoa, pois a data de nascimento não pode ser mudada. Para vencer possíveis tendências desfavoráveis definidas pelos números da data de nascimento a pessoa precisa ter força de vontade e um objetivo muito nobre na vida.

3 – Análise da soma do nome original: É de onde derivam as regências principais em sua vida. Cada pessoa possui entre 06 e 18 números regentes, conforme a extensão do nome.

4 - Interpretação dos números cabalísticos do seu nome: Inclui aspectos numerológicos, astrológicos, simbólicos e palavras sagradas hebraicas relacionadas com cada número, sua positividade e o que pode ser feito para debelar influências de números desajustados.

5 - Mantra Hebraico para equilibrar as energias do nome: Composto a partir das palavras sagradas relacionadas a cada número do nome, serve para traduzir o nome original em uma energia angélica totalmente corrigida e favorável em todos os níveis da vida.

Modalidades:

Numerologia Hebraica Pessoal

Feita para uma pessoa através de seu nome completo original e data completa de nascimento. Custo de R$ 200,00


Numerologia Hebraica Empresarial

Feita para uma empresa, organização ou grupo de pessoas (sócios, casais, grupos musicais, etc.) através dos nomes completos das organizações e seus sócios/membros e da data de nascimento das mesmas.

Até 02 (dois) sócios – Custo de R$ 300,00

A partir de 03 (três) sócios – Custo de R$ 500,00

Como solicitar sua Numerologia Hebraica

Contate diretamente pstekel@gmail.com

"Uma Conspiração Espiritual" (uma mensagem para ser compartilhada)


http://www.youtube.com/watch?v=AipkXoktV88

Uma Conspiração Espiritual

"Na superfície do mundo, exatamente agora, há guerra e violência e as coisas parecem sombrias. Mas, ao mesmo tempo, calma e silenciosamente, algo mais está acontecendo clandestinamente.

Uma revolução interior está acontecendo e certos indivíduos estão sendo chamados para uma Luz mais elevada. É uma revolução silenciosa. De dentro para fora. De baixo para cima. Esta é uma operação Global... Uma conspiração espiritual.

Há células adormecidas em cada nação do planeta. Vocês não nos verão pela TV. Vocês não lerão a nosso respeito nos jornais. Vocês não ouvirão sobre nós no rádio. Nós não buscamos nenhuma glória. Não usamos nenhum uniforme. Chegamos em todas as formas e tamanhos, cores e costumes. A maioria de nós trabalha anonimamente. Estamos silenciosamente trabalhando nos bastidores em cada região e cultura do mundo, em grandes e pequenas cidades, montanhas e vales, fazendas e povoados, tribos e remotas ilhas. Você poderia passar por um de nós e nem notar. Seguimos em segredo. Permanecemos nos bastidores. Não nos importa quem ganha o crédito final, mas, simplesmente que o trabalho seja realizado.

De vez em quando nos encontramos pelas ruas. Damos um suave cumprimento e seguimos nossos caminhos. Durante o dia muitos de nós fingem ter empregos normais, mas, por detrás das aparências, à noite, é quando o verdadeiro trabalho se inicia.

Alguns nos chamam de "'Exército da Consciência". Lentamente estamos construindo um mundo novo com o poder de nossos corações e mentes. Seguimos com alegria e paixão nossas ordens que chegam da Inteligência Espiritual Central.

Estamos jogando suavemente bombas secretas de amor quando ninguém está olhando. Poemas, abraços, músicas, fotos, filmes, palavras gentis, sorrisos, meditações e preces, danças, ativismo social, websites, blogues, atos casuais de bondade. Expressamo-nos de uma forma única e pessoal, valendo-nos de nossos talentos e dons próprios.

"Seja a mudança que você quer ver no mundo". Esse é o lema que preenche nossos corações. Sabemos que essa é a única forma de conseguir realizar a transformação. Sabemos que silenciosa e humildemente temos o poder de todos os oceanos juntos. Nosso trabalho é lento e meticuloso, como a formação das montanhas. Ele não é visível à primeira vista. E, ainda por causa dele, placas tectônicas inteiras devem ser movidas nos séculos vindouros.

O amor é a nova religião do Século 21. Você não precisa ser uma pessoa altamente educada ou ter qualquer conhecimento excepcional para entender isso. Isso vem da inteligência do coração, gravada no pulso evolucionário eterno de todos os seres humanos.

Seja a mudança que você quer ver no mundo. Ninguém pode fazer isso por você. Nós, agora, estamos recrutando. Talvez você se junte a nós. Ou talvez já tenha se juntado. Todos são bem-vindos. A porta está aberta."

(tradução de Stekel)

O texto original em Inglês traduzido para o Português por Stekel é assinado por um jovem que responde pelo apelido de Sensipeter e foi publicado em 20/11/2008 em: http://lightworkers.org/content/55855/a-spiritual-conspiracy

A Spiritual Conspiracy

On the surface of the world right now there is war and violence and things seem dark.
But calmly and quietly, at the same time, something else is happening underground
An inner revolution is taking place and certain individuals are being called to a higher light.
It is a silent revolution. From the inside out. From the ground up. This is a Global operation... A spiritual conspiracy.
There are sleeper cells in every nation on the planet. You won't see us on the T.V. You won't read about us in the newspaper. You won't hear about us on the radio.
We don't seek any glory. We don't wear any uniform. We come in all shapes and sizes, colors and styles.
Most of us work anonymously. We are quietly working behind the scenes in every country and culture of the world, cities big and small, mountains and valleys, in farms and villages, tribes and remote islands. You could pass by one of us on the street and not even notice. We go undercover, we remain behind the scenes.
It is of no concern to us who takes the final credit but simply that the work gets done.
Occasionally we spot each other in the street. We give a quiet nod and continue on our way.
During the day many of us pretend we have normal jobs but behind the false storefront at night is where the real work takes a place.
Some call us the 'Conscious Army'. We are slowly creating a new world with the power of our minds and hearts. We follow, with passion and joy our orders from the Central Spiritual Intelligence. We are dropping soft, secret love bombs when no one is looking. Poems, Hugs, Music,
Photography, Movies, Kind words, Smiles, Meditation and prayer, Dance, Social activism, Websites, Blogs, Random acts of kindness.
We each express ourselves in our own unique ways with our own unique gifts and talents.
'Be the change you want to see in the world'. That is the motto that fills our hearts. We know it is the only way real transformation takes place. We know that quietly and humbly we have the power of all the oceans combined. Our work is slow and meticulous like the formation of mountains. It is not even visible at first glance and yet with it entire tectonic plates shall be moved in the centuries to come.
Love is the new religion of the 21st century. You don't have to be a highly educated person or have any exceptional knowledge to understand it. It comes from the intelligence of the heart embedded in the timeless evolutionary pulse of all human beings.
Be the change you want to see in the world. Nobody else can do it for you.
We are now recruiting. Perhaps you will join us or already have....
All are welcome... The door is open.


Para obter a música de Stekel que você ouviu neste vídeo, contate pelo email pstekel@gmail.com

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Amor-Alma (Stekel & Hellen Oliveira)



Este é o clipe da música Amor-Alma, uma das faixas do álbum Qadosh - Música Canalizada & Mantras Codificados, o primeiro álbum de Paulo Stekel (2008). Nesta faixa, temos a participação especial de Hellen Oliveira, uma espiritualista universalista, reikiana e alma que entendeu perfeitamente o sentido espiritual da música.

Hellen Oliveira, que participou na faixa Amor-Alma, é espiritualista, Mestre em Reiki (Usui Tradicional), massoterapeuta e está sempre estudando terapias holísticas. Tem um histórico musical, mas estava afastada há muitos anos. Ao ouvir Amor-Alma pela primeira vez, se apaixonou pela proposta e decidiu fazer um vocal com Paulo Stekel. O ótimo resultado vocês mesmos podem conferir no clipe.

Música composta (canalizada e codificada), executada e produzida por Paulo Stekel (através da sintonização de Danea Tage).

Gravação, mixagem e masterização: Estúdio Uendel (www.estudiouendel.com.br)

Ouça algumas músicas do álbum Qadosh em http://www.reverbnation.com/stekelmusic

Para pedidos do álbum Qadosh - Música Canalizada & Mantras Codificados, contate pelo email pstekel@gmail.com

Livros de Stekel (e-books em PDF)

Obras de Paulo Stekel (2001 a 2016)

Elohê Israel (Os Deuses de Israel) – Filosofia Esotérica na Bíblia (2001)


Preço: R$ 14,00 (catorze reais)
Baixar trechos: http://www.4shared.com/office/UOvMXxTZ/Eloh_Israel_verso_eletrnica_tr.html

Expor, numa mesma obra, de forma evidente, tanto as controvérsias que envolvem a Bíblia quanto o caráter místico e esotérico escondido sob as brumas de incerteza que permeiam o texto que guia a vida de milhões de judeus e cristãos, é uma pretensão quase impossível de realizar.

Não para o autor, especialista em ambas as coisas. Stekel, usando o pseudônimo “Danea Tage”, parte sempre do princípio do “ceticismo sensato” - aquele que se dá o direito ao benefício da dúvida - e, feita a separação entre o joio e o trigo, apresenta o caráter verdadeiro e iniciático original do texto bíblico, isto é, o sentido espiritual real que Moisés, os Profetas, os cabalistas e os gnósticos deram aos escritos quando os redigiram, e não o sentido ensinado pelos intérpretes posteriores, tomados de idéias fanáticas e objetivos obscuros.

Esta é, sem dúvida, uma obra imprescindível aos iniciantes no estudo das questões bíblicas, e utilíssima aos eruditos em textos sagrados, sejam cristãos, judeus ou universalistas. Contém dois apêndices importantes: “Os Rolos de Qumrã” e “O Cristo Gnóstico e a Grande Mentira”.

Índice


Introdução

Primeira Parte – Antigo Testamento

Introdução
I – Torah (o Pentateuco)

Gênese
Êxodo
Levítico
Números
Deuteronômio

II – Livros históricos
1º bloco – Josué, Juízes, Rute, 1 e 2 Samuel, 1 e 2 Reis
2º bloco – Crônicas, Esdras e Neemias
3º bloco – Tobias, Judite e Ester
4º bloco – Macabeus

III – Livros poéticos e sapienciais

IV – Livros proféticos

Segunda Parte – Novo Testamento


Introdução
I – Os quatro evangelhos
II – Atos dos apóstolos
III – Epístolas de Paulo
IV – Epístolas católicas
V – Apocalipse

Terceira Parte – A Bíblia e a Filosofia Esotérica

Introdução
Filosofia esotérica no Antigo Testamento
Filosofia esotérica no Novo Testamento

Apêndices gnósticos

Apêndice I – Os rolos de Qumrã
Apêndice II – O Cristo Gnóstico e a Grande Mentira

Considerações finais
O autor
Bibliografia


-----------------------------------------------------------------

Projeto Aurora – retorno a linguagem da consciência (2003)


Preço: R$ 16,00 (dezesseis reais)
Baixar trechos: http://www.4shared.com/document/uEgp-J32/Projeto_Aurora_verso_eletrnica.html

O livro traz uma nova visão da origem das línguas, das culturas e de suas tradições espirituais, e apresenta uma abordagem holística do conhecimento e da provável visita de civilizações extraterrestres a nosso planeta desde tempos imemoriais.

Além de fartas referências bibliográficas, a obra traz dezenas de esquemas de alfabetos antigos, mapas e reconstituições e suas relações com o conhecimento antigo, a Cabala e as tradições esotéricas universais.

Um dos assuntos mais polêmicos tratados no livro são as “mensagens codificadas” que foram traduzidas por Stekel (aqui usando o pseudônimo “Danea Tage”) segundo métodos explicados ao longo dos capítulos. Essa codificação foi utilizada por Stekel e outras pessoas em 1993 em vigílias de contato ufológico. Os resultados são apresentados no último apêndice da obra.

Sumário

Prefácio à edição eletrônica de 2007

Introdução

Primeira Parte – Holognose


Cap. I – Visão Holística
Cap. II – Ciência
Cap. III – Esoterismo
Cap. IV – Ciência & Esoterismo: Holognose
Cap. V – Sobre o que se chama de “Ufologia”

Uma projeção futurológica da consciência do 3º Milênio
Ciência: exobiologia, astrobiologia, bioastronomia
Paraciência: ufologia
Controvérsias ufológicas: científicos x esotéricos
Holognose: uma proposta emergente para a Ufologia

Segunda Parte – Tradição

Cap. VI – A Tradição e a Grande Fraternidade Branca

A tradição neolítica
A tradição esotérica da humanidade ou “A Doutrina Secreta”
Cap. VII – Ciência-Filosofia-Religião
Cap. VIII – O “ateísmo teosófico”
Cap. IX – Passado esquecido: a Atlântida
Cap. X – Um resumo da Cabala

História da Cabala
Os 22 princípios da Cabala
A Árvore da Vida e as Sefirot
Operações cabalísticas
Comentário resumido do Sefer Yetsirah
Cap. XI – A Torre de Babel e a língua original

Terceira Parte – Logolingüística

Cap. XII – O Vattan de d'Alveydre

O indo-europeu e o Devanagari
O idioma das letras falantes
Cap. XIII – O Senzar de Blavatsky
Cap. XIV – Conceito e mecanismo da Logolingüística
Cap. XV – Logolingüística diacrônica

Diacrônica dos logogramas
A linguagem de Glozel
A degeneração da logolinguagem e a questão fonética
Analogia e aglutinação
Análise subjetiva e objetiva
A diversidade das línguas
A pesquisa retrospectiva
Cap. XVI – Princípios lingüísticos aplicados a logolinguagem
Língua e linguagem
Língua e fala
A questão da representação gráfica
Natureza do signo em logolinguagem
Imutabilidade e mutabilidade do signo
Identidade, realidade e valor
Relações sintagmáticas e associativas
Cap. XVII – Paleontologia logolingüística
Logolinguagem, famílias e tipos lingüísticos
A migração da logolinguagem atlante
“A Doutrina Secreta” e a linguagem atlante
A evolução da escrita
A escrita egípcia
A escrita fenícia
As origens do hebraico bíblico
E o devanagari sânscrito?

Quarta Parte – Logogramática

Cap. XVIII – Uma introdução à gramática da logolinguagem

Fonética
Morfologia
Sintaxe
A lógica logogramatical
Cap. XIX – Pequeno léxico diacrônico da logolinguagem

Quinta Parte – Diacrônica interplanetária

Cap. XX – Buscando a “pedra de Rosetta”

Onde estão as fontes da Tradição?
Eles sempre estiveram entre nós!
O “paranormal” e o “esotérico”
Transcendendo o “daqui não passarás”
Cap. XXI – A história do embornal
Cap. XXII – Catorze anos depois: a tradução da mensagem do embornal

O trabalho de tradução
A mensagem traduzida
Logogramática da mensagem do embornal
O logo-alfabeto do embornal
Simbologia extraterrestre
Os extraterrestres escrevem em hebraico?
Glozel decifrado
Análises finais

Conclusão

Apêndices

Inspiração e Canalização: desfazendo equívocos
Os tentáculos da contra-informação e as abduções
A verdade sobre o “Projeto Aurora” - a mensagem transmitida

Esquemas

Bibliografia

O autor


-------------------------------------------

Santo & Profano – estudo etimológico das línguas sagradas (2006)


Preço: R$ 14,00 (catorze reais)
Baixar trechos: http://www.4shared.com/document/UwP-QyZb/Santo_e_Profano_trechos.html

O objetivo desta terceira obra do professor Paulo Stekel, é demonstrar que as línguas em sua origem tiveram um caráter quase que exclusivamente sagrado, tendo nascido junto com a religião, talvez como um processo de desenvolvimento do pensamento espiritual dos seres humanos primevos. Aos poucos a humanidade foi perdendo a conexão com a sacralidade das coisas e dos seres, até culminar na era das línguas modernas, totalmente desconectadas de suas matrizes sacerdotais, fontes da maior parte dos conceitos e acepções que hoje utilizamos no falar e no escrever.

“Santo e Profano” traz, pela primeira vez numa obra em português, uma análise etimológica e simbólica de milhares de palavras e expressões sagradas de diversas religiões em mais de trinta línguas diferentes.

A maior parte das análises se detém em cinco línguas sagradas – latim, grego, sânscrito, hebraico e iorubá – e em algumas modernas, latinas e anglo-germânicas, entre outras. O conhecimento ancestral que “desperta” destas análises não só é intrigante como esclarecedor, pois a verdadeira força dos “mantras” praticados em muitas civilizações em suas iniciações aparece sem véus, os rituais passam a ter um sentido universal e a história (antes) perdida da Antigüidade reencontra seu elo mais confiável – a linguagem sagrada, na qual foram concebidos e transmitidos à posteridade todos os mitos do mundo.

Mesmo não pretendendo ser um estudo completo da linguagem sagrada, certamente o leitor se sentirá instigado a saber mais sobre as diversas visões do sagrado elaboradas pela raça humana ao longo de milhares de anos.

Índice geral


Apresentação

Introdução

Cap. I – O sagrado e o profano ou da tradição à modernidade

1.1 – Uma definição de “língua sagrada”
1.2 – Etimologia do sagrado
1.3 – Etimologia do profano
1.4 – A era de Adão ou a modernidade profana

Cap. II – Do paganismo sagrado ao cristianismo profano
2.1 – O pagão e seus mistérios
2.2 – Resquícios pagãos na ritualística cristã
2.3 – Maçonaria: a sobrevivência dos Mistérios

Cap. III – Latim: a sepultura do paganismo
3.1 – Uma classificação do latim
3.2 – Da língua primitiva ao latim clássico
3.3 – Latim clássico e latim vulgar
3.4 – O latim bíblico
3.5 – A origem da escrita romana
3.6 – Um pouco de paganismo latino

Cap. IV – Grego: a língua de Sofia
4.1 – Os povos da Hélade
4.2 – A língua grega
4.3 – A religião grega
4.4 – A Trindade grega de Hesíodo
4.5 – Sofia: dos Mistérios à Gnose

Cap. V – Hebraico: a linguagem dos anjos
5.1 – Do fenício ao aramaico
5.2 – O culto de Israel [parte 1]
5.3 – Um politeísmo escondido em muitos anjos?
5.4 – A tradição sagrada da Cabala

Cap. VI – Sânscrito: a escrita dos Devas
6.1 – Os Vedas
6.2 – Do védico ao sânscrito: a evolução do sagrado
6.3 – A gramática mais antiga do mundo
6.4 – Os guardiões de Rta
6.5 – Relações lingüísticas

Cap. VII – Iorubá: a fala sagrada de Olorum
7.1 – Primórdios da Mãe África
7.2 – A matriz iorubana
7.3 – Èsin Olorum: um monoteísmo escondido entre muitos deuses
7.4 – Um pouco de teogonia e cabala iorubana
7.5 – Etimologia da palavra “yòrùbá”
7.6 – Ofó: a palavra mística
7.7 – Relações com outras línguas sagradas
7.8 – Análise cabalística dos nomes de alguns deuses africanos

Cap. VIII – Mantras: palavras de poder
8.1 – Os primórdios de uma “acústica oculta”
8.2 – Tipos de mantras
8.3 – Mantra Yoga: a essência do som
8.4 – Consciência e Som
8.5 – Subsídios para uma “Cabala sânscrita”
8.6 – Matrika Shakti: o poder das letras

Cap. IX – Etimologia de Deus: Deus est daemon inversus
9.1 – Theos-Zeus-Deus
9.2 – Deus impessoal e Deus pessoal
9.3 – Do Espaço ao Sol e à Trindade
9.4 – Do Uno ao múltiplo

Cap. X – Etimologia do Diabo: Daemon est Deus inversus
10.1 – O problema do Mal
10.2 – As três fases do Diabo bíblico
10.3 – Os demônios de Lúcifer
10.4 – Asuras: os demônios hindus

Cap. XI – Etimologia da Gênese
11.1 - “No princípio...”
11.2 - “...criou Deus...”
11.3 - “...os céus e a terra”
11.4 – O verdadeiro “primeiro versículo”

Cap. XII – A linguagem sagrada de Moisés
12.1 – Do Egito ao Sinai
12.2 – Os mistérios de Yavé
12.3 – O Culto de Israel [Parte II]

Cap. XIII – O significado de Babel
13.1 – O que diz Moisés
13.2 – Safáh: a matriz da palavra
13.3 – Davár: a palavra original

Cap. XIV – Senzar: a linguagem-mãe
14.1 – O Indo-europeu e a matriz original
14.2 – O vattan de D'Alveydre
14.3 – O Senzar de Blavatsky

Cap. XV – A explosão das línguas
15.1 – Hierolinguagem
15.2 – Mecanismos hierolingüísticos
15.3 – A prova “fóssil” de Glozel
15.4 – Fenícios na Amazônia?
15.5 – A linguagem codificada dos Tukano
15.6 – Macus: os drávidas da Amazônia

Cap. XVI – Raízes e sons elementais
16.1 – O esquema da palavra
16.2 – Os 22 princípios e seus sons correspondentes
16.3 – Raízes duplas: a matriz da palavra

Cap. XVII – O Livro egípcio dos mortos e a Cabala
17.1 – Os Capítulos do Sair à Luz
17.2 – Palavras de poder
17.3 – A cabala dos deuses egípcios
17.4 – Origens da cabala nos Capítulos do Sair à Luz

Cap. XVIII – A unidade da cultura ariana da Índia
18.1 – O que é um ariano?
18.2 – O que dizem os indianos
18.3 – Os argumentos mais recentes contra a invasão ariana

Cap. XIX – Visão sagrada e visão moderna
19.1 – O sentido sagrado de Hierarquia
19.2 – A poesia das línguas sagradas
19.3 – O que restou do sagrado

Conclusão

Índice etimológico

Bibliografia

Sobre o autor


-------------------------------------------------

Deuses & Demônios – verdades inauditas e mentiras anunciadas sobre os anjos (2007)


Preço: R$ 14,00 (catorze reais)
Baixar trechos: http://www.4shared.com/document/ZIv6VxcZ/Deuses_e_Demnios_trechos.html

Como o assunto pode ser encarado sob três aspectos ou visões angélicas bem distintas, ainda que de certo modo conectadas – a bíblica, a cabalística e a “teosófica” -, a obra foi dividida em três partes: a primeira trata dos anjos na Bíblia (traz um apanhado bem completo dos principais trechos bíblicos citando anjos nas suas mais variadas denominações e hierarquias, apanhado este que não encontramos em nenhuma obra anterior sobre o assunto); a segunda parte trata dos anjos na Cabala, a tradição mística vinda desde Moisés (se a visão bíblica dos anjos é simbólica, a visão cabalística nada mais é que a tradução dos símbolos bíblicos, revestidos em novos símbolos, mais elaborados, porém); a terceira parte trata dos anjos na Tradição Esotérica Univelsal ou da tradição oculta sobre os anjos que os antigos Iniciados possuíam, e que foi apresentada pela primeira vez ao Ocidente pela mística russa Helena Petrovna Blavatsky (1831-1891), em sua monumental obra “A Doutrina Secreta” (1888).

A obra possui três adendos: o primeiro é uma crítica aos “adeptos” da Nova Era e à forma como estes apresentam os anjos, isto é, tão humanos como nós e tão à nossa disposição como se fôssemos as criaturas mais importantes do universo; o segundo adendo é um pequeno conto sobre anjos, com vistas a apresentar algumas idéias em forma de estória sobre a relação entre homens e anjos; o terceiro adendo são pantáculos angélicos, tanto dos anjos planetários quanto dos anjos dos signos, preparados pelo autor. Um pantáculo é uma figura geométrica correlata às mandalas indianas, e com a mesma função: conectar o homem ao seu Eu Interno através de geometria, cores e letras sagradas.

Índice

Introdução

Parte I – Os Anjos na Bíblia

I – Anjos no Antigo Testamento


Considerações iniciais
1 – Gênese
2 – Êxodo, Números, Deuteronômio
3 – Josué, Juízes, I e II Samuel, I e II Reis
4 – Crônicas, Neemias, Tobias, Jó
5 – Salmos
6 – Isaías, Jeremias, Ezequiel, Daniel, Oséias, Sofonias, Zacarias, Malaquias

II – Anjos no Novo Testamento

1 – Evangelhos
2 – Atos dos Apóstolos e Epístolas
3 – Apocalipse
Considerações finais

Parte II – Os Anjos na Cabala

1 – Análise cabalística dos termos bíblicos relativos aos anjos
2 – Aspecto astrológico dos anjos na Bíblia
3 – Uma análise do termo “Elohim”
4 – As várias faces de “Yahveh”
5 – Concepções angélicas da Idade Média
6 – A origem das Nove Hierarquias Angélicas
7 – Os 72 Anjos Cabalísticos
8 – Os Três Anjos da Guarda
9 – A angelologia dos antigos segundo Agrippa
10 – A angelologia dos modernos
11 – Os Sete Anjos Planetários
12 – Análise do mantra “Qadosh”
13 – Considerações finais

Parte III – Os Anjos na Tradição Esotérica Universal

I – Os Anjos na Filosofia Esotérica de Helena Blavatsky


1 – A Mente Universal
2 – Os Sete Senhores Sublimes
3 – Os Construtores
4 – As Trevas como a base da Luz
5 – Yahveh e a Serpente
6 – As Hierarquias Setenárias
7 – Fohat, o filho das Hierarquias Setenárias
8 – Os elementais
9 – Os Progenitores do homem na Terra
10 – O cosmos é dirigido
11 – Simbolismo
12 – Os Arquitetos e a Divindade
13 – A Divindade Oculta
14 – Demon est Deus inversus
15 – A Teogonia dos Deuses Criadores
16 – Sobre os elementos e os átomos
17 – As Forças
18 – Deuses, Mônadas e Átomos
19 – A Criação de seres divinos
20 – Os Deuses criam os homens
21 – Uma pausa para falar dos Titãs
22 – O mito de Satã
23 – Anjos e Demônios
24 – As máscaras de Yahveh
25 – O que são os “Elohim”?
26 – Astrologia e Astrolatria
27 – O “Pai Celeste”
28 – Últimas considerações (segundo o “Glossário Teosófico”)

II – Síntese Angélica

1 – Introdução
2 – Os Deuses
3 – O Logos ou Verbo
4 – As Hierarquias Criadoras
5 – Os Deuses Maiores ou Sefiroth – 2º e 3º estágios
6 – Os Deuses Menores ou Elementais – 1º estágio
7 – Arcanjos Solares e Planetários
8 – Anjos Nacionais e Anjos das Religiões
9 – Os Anjos e os Sete Raios

Conclusão

Adendos


Adendo I – Os anjos e a “Nova Era”
Adendo II – Conto: Miguel e Satã
Adendo III – Pantáculos angélicos

Bibliografia

Sobre o autor

-----------------------------------------------

Curso de Cabala – com noções de Hebraico & Aramaico – vol. I (2007)


Preço: R$ 22,00 (vinte e dois reais)
Baixar trechos: http://www.4shared.com/document/rdZ0g_WO/Curso_de_Cabala_Com_noes_de_He.html

O curso que se inicia com este volume tem vários objetivos, dependendo da expectativa de cada leitor. Os objetivos vão desde ensinar as bases do Hebraico antigo para aqueles que gostariam de saber o suficiente para escrever coisas interessantes, como os Nomes Divinos ou os nomes dos anjos, até um aprofundamento na língua para se ler e interpretar os textos da Bíblia e da Cabala (como o Sefer Yetsirah e o Sefer Ha-Zohar). Por isso, é composto de forma bem didática, permitindo que você possa se aprofundar até a medida de suas necessidades ou interesses.

Este Volume I é composto de 24 capítulos. Neles, você aprenderá as bases da escrita hebraica, as vogais e as consoantes, os sinais de leitura, os primeiros vocabulários e as primeiras noções da gramática da língua hebraica antiga. O último capítulo traz ainda as primeiras noções do Aramaico, noções que serão aprofundadas nos próximos volumem.

Se você desejar seguir no aprendizado, seguir-se-ão os Volumes II, III e IV, a ser lançados nos próximos anos. Cada volume aprofundará mais as noções de Hebraico e Aramaico, além dos conceitos espirituais envolvidos na Tradição da Cabala, por vezes relacionando-os com outras tradições espirituais, como o Vedanta, o Yoga, o Gnosticismo e o Cristianismo.

Índice


Introdução

Cap. I – Noções ortográficas

Cap. II – Consoantes 1

Cap. III – Vogais 1

Cap. IV – Consoantes 2

Cap. V – Consoantes Finais

Cap. VI – Vogais 2

Cap. VII – Consoantes e Vogais

Cap. VIII – Introdução à Cabala

Cap. IX – Formação e divisão das sílabas

Cap. X – A Tradição Hebraica e a Cabala

Cap. XI – Tonicidade e Acentos

Cap. XII – A Árvore da Vida na Cabala

Cap. XIII – A Pausa e as Vogais

Cap. XIV – As 32 Sendas – chave de números e letras

Cap. XV – Correspondências astrológicas no Sefer Yetsirah

Cap. XVI – Relação entre os Nomes Sagrados e os Números

Cap. XVII – Kethiv e Qerê

Cap. XVIII – Pronomes Hebraicos

Cap. XIX – O Artigo

Cap. XX – Ensinamentos da Cabala Mística

Cap. XXI – O Vav Conjuntivo

Cap. XXII – Preposições inseparáveis

Cap. XXIII – Gênero e Número dos Substantivos

Cap. XXIV – Primeiras noções de Aramaico


Exercícios – Respostas


Bibliografia


Sobre o autor


----------------------------------------------

Curso de Cabala – com noções de Hebraico & Aramaico – vol.II (2008)


Preço: R$ 22,00 (vinte e dois reais)
Baixar trechos: http://www.4shared.com/document/d76_eTti/Curso_de_Cabala_Com_noes_de_He.html

O presente curso, neste segundo volume, tem vários objetivos, dependendo da expectativa de cada leitor. Os objetivos vão desde ensinar as bases do Hebraico antigo para aqueles que gostariam de saber o suficiente para escrever coisas interessantes, como os Nomes Divinos ou os nomes dos anjos, até um aprofundamento na língua para se ler e interpretar os textos da Bíblia e da Cabala (como o Sefer Yetsirah e o Sefer Ha-Zohar). Por isso, é composto de forma bem didática, permitindo que você possa se aprofundar até a medida de suas necessidades ou interesses.

O Vol. II é composto de 17 capítulos, onde você aprenderá os mistérios do alfabeto hebraico, os numerais, o caso construto e o absoluto, a numerologia metafísica e mais um pouco de Aramaico.

Se você desejar continuar o aprendizado, seguir-se-ão os Volumes III e IV, a ser lançados nos próximos anos. Cada volume aprofundará mais as noções de Hebraico e Aramaico, além dos conceitos espirituais envolvidos na Tradição da Cabala, por vezes relacionando-os com outras tradições espirituais, como o Vedanta, o Yoga, o Gnosticismo e o Cristianismo.

Índice


Introdução

Cap. I – Mistérios do alfabeto

Cap. II – O Construto e o Absoluto

Cap. III – Trechos do Zohar para estudo

Cap. IV – O Adjetivo

Cap. V – Pronomes Interrogativos e o Relativo

Cap. VI – Relação entre os Nomes Sagrados e os Números – 2ª Parte

Cap. VII – O Comparativo e o Superlativo

Cap. VIII – Vocabulário especial do Antigo Testamento (com freqüência)

Cap. IX – Numerais Cardinais

Cap. X – Numerais Ordinais

Cap. XI – O Código Secreto da Bíblia é profético ou cabalístico?

Cap. XII – Cabala e Judaísmo

Cap. XIII – Cabala Literal, Dogmática e Luriânica

Cap. XIV – Outros sinais e acentos usados na escrita hebraica

Cap. XV – Numerologia Metafísica

Cap. XVI – Tópicos de Cabala Mística

Cap. XVII – Aramaico: alfabeto e vogais

Exercícios – Respostas


Bibliografia


Sobre o autor


---------------------------------------------

Curso de Sânscrito – com noções de Filosofia Indiana – vol. I (2008)


Preço: R$ 22,00 (vinte e dois reais)
Baixar trechos: http://www.4shared.com/document/3QXBWUAJ/Curso_de_Snscrito_com_noes_de_.html

O curso que se inicia com este volume tem vários objetivos, dependendo da expectativa de cada leitor. Os objetivos vão desde ensinar as bases do Sânscrito Clássico para aqueles que gostariam de saber o suficiente para escrever coisas interessantes, como os nomes das divindades, dos chacras ou os mantras, até um aprofundamento na língua para se ler e interpretar os textos védicos, os ensinamentos do Yoga, os sutras budistas, etc. Por isso, é composto de forma bem didática, permitindo que você possa se aprofundar até a medida de suas necessidades ou interesses.

Este Volume I é composto de 21 capítulos. Neles, você aprenderá as bases da escrita Devanagari, a mais utilizada para se escrever em Sânscrito, as vogais e as consoantes, os sinais de pontuação (que são poucos), os primeiros vocabulários e as primeiras noções da gramática da língua sânscrita clássica. Há ainda capítulos com noções de Páli (a língua canônica do Budismo do Sul), Canto Védico e sânscrito arcaico, noções que serão aprofundadas nos próximos volumes deste Curso de Sânscrito.

Se você desejar seguir no aprendizado, seguir-se-ão os Volumes II, III e IV, a ser lançados nos próximos anos. Cada volume aprofundará mais as noções de Sânscrito, além dos conceitos espirituais envolvidos nas diversas tradições a ele associadas, como o Vedanta, o Yoga, o Jainismo, o Hinduísmo e o Budismo.

Índice


Introdução

Cap. I – Situando a língua sânscrita

Cap. II – Vogais I – Formas iniciais

Cap. III – Vogais II – Formas médias e ditongos

Cap. IV – Letras invariáveis

Cap. V – Consoantes guturais

Cap. VI – Consoantes palatais

Cap. VII – Consoantes cerebrais

Cap. VIII – Consoantes dentais

Cap. IX – Consoantes labiais

Cap. X – Semivogais

Cap. XI – Sibilantes, Ha e Ksa

Cap. XII – Vogais e Consoantes – considerações gerais

Cap. XIII – Chacras – uma visão comparativa

Cap. XIV – Os Vedas

Cap. XV – Mantras – sons sagrados

Cap. XVI – O conceito indiano de Deuses e Demônios

Cap. XVII – Consoantes compostas

Cap. XVIII – Considerações sobre a pronúncia do Sânscrito

Cap. XIX – Noções de Canto Védico

Cap. XX – Glossário comparativo

Cap. XXI – Introdução à Mitologia Védica


Exercícios – Respostas


Bibliografia


Sobre o autor


------------------------------------------------

Curso de Sânscrito – com noções de Filosofia Indiana – vol. II (2009)


Preço: R$ 22,00 (vinte e dois reais)
Baixar trechos: http://www.4shared.com/document/03Q-ezti/Curso_de_Snscrito_com_noes_de_.html

O curso que continua neste volume tem vários objetivos, dependendo da expectativa de cada leitor. Os objetivos vão desde ensinar as bases do Sânscrito Clássico para aqueles que gostariam de saber o suficiente para escrever coisas interessantes, como os nomes das divindades, dos chacras ou os mantras, até um aprofundamento na língua para se ler e interpretar os textos védicos, os ensinamentos do Yoga, os sutras budistas, etc. Por isso, é composto de forma bem didática, permitindo que você possa se aprofundar até a medida de suas necessidades ou interesses.

Este Volume II é composto de 14 capítulos. Neles, você aprenderá as noções mais importantes para se entender o Sânscrito, as regras de eufonia (Sandhi), a declinação e seus casos, mais vocabulários (alguns específicos) e um aprofundamento maior no conhecimento da língua.

Se você desejar seguir no aprendizado, seguir-se-ão os Volumes III e IV, a ser lançados nos próximos anos. Cada volume aprofundará mais as noções de Sânscrito, além dos conceitos espirituais envolvidos nas diversas tradições a ele associadas, como o Vedanta, o Yoga, o Jainismo, o Hinduísmo e o Budismo.

Índice


Introdução

Cap. I – Regras de Sandhi ou Combinação Eufônica de Letras

Cap. II – Sandhi Externo

Cap. III – Sandhi Interno

Cap. IV – Nomenclatura gramatical sânscrita

Cap. V – Introdução à Conversação em Sânscrito – Laukika Samskrtam

Cap. VI – Declinação – Noções gerais

Cap. VII – Declinação - Nomes

Cap. VIII – O Sânscrito como Palavra Divina

Cap. IX – O poder do silêncio e do Om

Cap. X – Graus de Comparação

Cap. XI – Numerais Cardinais

Cap. XII – Numerais Ordinais

Cap. XIII – Pronomes

Cap. XIV – Métrica no Sânscrito Clássico


Exercícios – Respostas


Bibliografia


Sobre o autor


------------------------------------------------

A Alma da Palavra – o discurso como Filosofia Perene (2011)


Preço: R$ 14,00 (catorze reais)
Baixar trechos: http://www.4shared.com/document/loFai2tz/A_Alma_da_Palavra_trechos.html

Uma visão mais holística poderia ser útil para resgatar o valor das tradições ancestrais e a alma da palavra, perdida para nós, homens da “civilização global”. É o que Stekel propôs ao lançar a idéia de uma nova ciência para estudar as línguas e linguagens sagradas, a Hierolingüística, em seu terceiro livro, “Santo & Profano – estudo etimológico das línguas sagradas”. Agora, em “A Alma da Palavra”, Stekel apresenta na prática o que seria resgatar esta “alma”, entranhada na idéia de “espiritualidade” e “religiosidade”. Todo o ser humano tem uma relação com o transcendente, e isso é espiritualidade. Quando este procura alguma forma de sistematização desta relação, com a finalidade de crescer como ser humano, acaba por expressar sua religiosidade. Assim, um ser espiritualizado pode ser alguém que não professa religião instituída alguma. E, muitos religiosos têm se demonstrado as pessoas mais sem espiritualidade que se possa conceber. Estamos mesmo na era dos disparates...

As análises, argumentos e mesmo os exercícios que compõem certas partes desta obra, estão todos dentro dos postulados da Filosofia Perene, uma expressão cada vez mais comum. Mas o que é esta Filosofia Perene?

A Filosofia Perene é um termo geralmente usado como um sinônimo da expressão sânscrita Sanatana Dharma (“Verdade perene ou eterna”, lit. “sustentação eterna [do universo]”). O filósofo alemão Gottfried Leibniz o utilizou para designar a filosofia comum e eterna subjacente às grandes religiões mundiais, em particular suas interpretações místicas ou “esoterismos” (os ensinamentos privados). O termo foi cunhado durante o Renascimento por Agostinho Steuco, bibliotecário do Vaticano no séc. XVI, no livro De Perenni Philosophia libri X, de 1540.

Índice

Introdução

Capítulo 1 – Sphota: A alma da palavra nas tradições indianas

Sânscrito: a linguagem dos deuses
O desabrochar da alma
Um conceito recente sobre idéias antigas?
Uma breve visão histórica do conceito de Sphota
A natureza de Sphota
O processo de comunicação
Mantras
Exercício 1 – Manifestação dos sons sutis (versão descendente)
Exercício 2 – Manifestação dos sons sutis (versão ascendente)
O poder das letras – Matrika Shakti
Shabda: a natureza do discurso
Exercício 3 – Meditação na Voz do Silêncio
Om: a fonte de Sphota

Capítulo 2 – Logos: o Verbo divino na cultura grega
A palavra “Mistério”
A doutrina do Logos
Diferença entre Logos e Rhema
Conexões entre Nous e Logos
Gnose: o conhecimento do Logos
Exercício 4 – As sagradas vogais gnósticas
Anima Mundi: o divino permeando o todo

Capítulo 3 – Verbum: a alma latina, nosso legado
O pagão e seus mistérios
Características do Latim
Os Carmina, antigos vaticínios
Palavra, Verbo e Discurso

Capítulo 4 – Davar: A palavra de Deus
O simbolismo de Adão
A importância do Hebraico
Davar: o Verbo manifestado de Elohim
Bat Qôl – A “Filha da Voz” ou a Sofia hebraica?
Babel e a matriz das palavras
Mantras cabalísticos
Exercício 5 – Vocalização do mantra Qadosh
Exercício 6 – Vocalização dos Dez Nomes de Deus
Invocações angélicas
Exercício 7 – Invocação a seu Anjo Cabalístico

Capítulo 5 – A alma da palavra em outras tradições
A palavra nas tradições africanas
A palavra sagrada entre os egípcios
A fala sagrada na Amazônia
Curiosidades sobre a visão da palavra
O poder da palavra nas tradições orais
A alma do Pai Nosso
Exercício 8 – Vocalização do Pai Nosso em três línguas sagradas

Capítulo 6 – A alma da palavra no discurso, na poesia e na música
Discurso e Discurso sagrado
A alma da poesia sagrada
Os 22 Princípios sonoros universais
Exercício 9 – Sons primordiais segundo a Filosofia Perene
O poder da Língua Portuguesa
Exercício 10 – Vocalização com os sons primordiais existentes no Português
Resgatando a alma das palavras
Exercício 11 – Lista das palavras mais usadas por você
A música e a palavra: o ritmo da alma

Capítulo 7 – Simbolismo dos estados ampliados de consciência: uma origem para o sagrado?
O que é a Consciência
Estados de Consciência
Estados Ampliados de Consciência
Canalização – conexão com o Eu Interno?
Uma entrevista: tirando dúvidas
Estados Ampliados seriam a origem do sagrado?

Conclusão

Créditos das figuras

Bibliografia

Sobre o autor


----------------------------------------------

EBOOK GRATUITO!!!



EBOOK GRÁTIS SOBRE "CANALIZAÇÃO" PARA VOCÊ!!!

Acaba de ser lançado este presente para todos os interessados em Canalização (Channeling). É um ebook totalmente gratuito com informações preciosas sobre esta técnica ainda pouco conhecida no Brasil.

COMO PEDIR O SEU EXEMPLAR DIGITAL: Envie mensagem para o email pstekel@gmail.com e peça gratuitamente o seu ebook "Canalização - um processo de sintonização de realidades extrafísicas".

Como há pouco material em Língua Portuguesa sobre o assunto atualmente, Paulo Stekel tem publicado diversos artigos aprofundados e muito esclarecedores sobre o que é Canalização, como funciona, o que são os mentores e guias espirituais, relações com a meditação e a mediunidade, etc. Este ebook gratuito traz muitas informações neste sentido.

PEÇA JÁ O SEU, SEM QUALQUER CUSTO!!!




Sobre o autor

Paulo Stekel é jornalista, escritor, tradutor, revisor, sintonizador musical, com vários álbuns lançados desde 2008. Stekel é um pesquisador não-acadêmico, um professor autodidata de Cabala, Hebraico bíblico-cabalístico, Sânscrito e línguas sagradas. É um especialista na interpretação dos textos sagrados das religiões.

Nasceu e cresceu em Santa Maria (Rio Grande do Sul, Brasil) [1970]. Desde os nove anos estuda religiões e filosofias. Atualmente resida na Grande Porto Alegre (Rio Grande do Sul), onde ensina Cabala, Hebraico, Sânscrito e Hierolingüística [uma nova ciência para o estudo das linguagens sagradas proposta por Stekel em seu livro "Santo & Profano – estudo etimológico das línguas sagradas", publicado em 2006].

Stekel tem estudado muitas línguas e linguagens antigas (Hebraico, Aramaico, Grego, Latim, Iorubá, Sânscrito, Sumério, Tibetano, etc.), várias religiões e filosofias, escolas e ordens místico-espirituais (Yoga, Teosofia, Maçonaria, Budismo Tibetano) e áreas da Ciência Moderna (Psicologia Transpessoal, Física Quântica, Lingüística), sempre mantendo um caráter não-acadêmico, mas estudando de modo sempre profundo cada área de seu interesse.

Stekel publicou sete obras: "Elohê Israel (Os deuses de Israel) - filosofia esotérica na Bíblia" (Independente, 2001); "Projeto Aurora - retorno à linguagem da consciência" (FEEU, 2003); "Método de Sânscrito para estudantes brasileiros" (Independente, 2004); "Santo e Profano - estudo etimológico das línguas sagradas" (GEFO, 2006); “Deuses & Demônios – verdades inauditas e mentiras anunciadas sobre os anjos” (Independente, 2007); “Curso de Cabala – com noções de Hebraico & Aramaico [vol. I]” (Independente, 2007); “Curso de Sânscrito – com noções de Filosofia Indiana [vol. I]” (Independente, 2008). Em seus livros e na maioria de seus artigos, Stekel usa o pseudônimo de Danea Tage.

Foi editor da Revista Horizonte – Leitura Holística, uma publicação eletrônica focada na espiritualidade, no meio ambiente, nas tradições religiosas, nas línguas sagradas e nas terapias alternativas.

Atualmente Stekel tem uma carreira musical nos estilos new age, ambiente e eletrônico, tendo lançado vários álbuns de música canalizada e mantras codificados, como “Qadosh” (2008), “Galaktika” (2009), “Sacred Voices” (2011) e “The Planets – for XXIst Century” (2011).


E-mail: pstekel@gmail.com (Para pedidos de livros, CDs e cursos de Stekel)

Canal no Youtube: http://www.youtube.com/paulostekel